segunda-feira, 24 de julho de 2017

Ganhando com "Ela"!

Por FERNANDO MELO 
(Dedico este artigo ao Mestre Antonio Carlos*)

Jogar com o Mestre Francisco Dantas é agradável! E jogar a Bird é muito agradável! E ganhar para ele jogando a Bird é bastante agradável! Vamos explicar  tudo isso.

Ontem, no Circuito de Xadrez Blits Bobby Fischer, joguei com as brancas contra meu amigo Francisco Dantas. Ele tem mais conhecimento teórico e técnico do que eu, é jogador mais forte e vence sempre quando nos enfrentamos. Na partida em questão, eu estava satisfeito em poder testar minha Bird com ele. Confesso - isso é importante - que consegui uma concentração de tal monta, que pouco importava o resultado. Joguei, portanto, descontraído, feliz e atento. No final, com os cumprimentos de praxe, ele disse: "Essa Bird de Fernando é complicada!"

Ora, temos que frisar que Dantas jogou bem esse torneio, empatando com os 3 primeiros colocados (esses três jogaram "afiados" todo o torneio, e empatar com gente com esse espírito não é fácil).
Então, pergunto: por que Dantas perdeu na nossa partida?   

A sensação que tenho para poder responder a essa pergunta é a de que, de tanto jogar a Bird, efetuo os primeiros lances (cerca de 10) sem pensar (salvo se o adversário jogar o Gambito From, pois aí tenho que criar lances no tabuleiro que não estou acostumado). Ora, isso numa partida de 5+5', jogar rápido passa a impressão de que você está confiante no que faz e isso, em geral, incomoda o adversário, principalmente quando ele sabe que você joga a Bird, sempre.
Resumo da ópera: quem ganhou foi o efeito psicológico, pelo menos naquele instante, em que Dantas me vendo jogar com segurança, começou a pensar e foi se complicando no tempo. Um minuto a mais numa partida de 5 minutos é muita coisa.
Claro está que numa partida clássica de 4 horas, ganho, jogando com Dantas, apenas experiência (o que já é muito), porque dificilmente ele vai perder para mim.
Aproveito para dizer que nesse torneio de ontem, ganhei também para o Mestre Antonio Dutra, o que não é fácil, e , claro, jogando a Bird! Eita! Então a Bird está em alta? E como, né!   

Antonio Carlos* - Tenho um especial respeito por Mestre Antonio Carlos, que certamente está em Sousa, onde vive, e faz tempo que não aparece por aqui. Em 11 janeiro de 2012, ele me presentou o livro que ilustra este artigo com a seguinte dedicatória:
"Ao mestre Fernando Melo ´Que venham os moinhos de vento. Que venham os labirintos das ilusões e dificuldades. Mas nada, nada será barreira para quem plantou em seu coração e na mente o desejo de realizar um sonho e ter a certeza que criará carne e ossos um dia. Viva a deusa Caíssa! Viva a AXCV! Viva ao Xadrez Paraibano! E viva a você e toda sua bela família, bravo "Don Quixote do Nordeste".

I Memorial Botvinnik

AN Ivanilson Pereira: segurança e tranquilidade
Será realizado na noite de hoje, a partir das 19h30m, no Clube de Xadrez Arte de Pensar - Colégio TOP, Rua Inácio Ramos de Andrade, 416, bairro dos Bancários,  a II Rodada do I Torneio Memorial Mikhail Botvinnik, sob a direção de Fernando Melo e arbitragem de Ivanilson Pereira. O torneio, com 90 minutos nocaute, vale rating FIDE e conta com oito jogadores, todos contra todos.

O emparceiramento está assim conhecido:
Mesa 01 - Hamilton Nobrega - Claudionor Henriques
Mesa 02 - Antonio Dutra - Luciano Galindo
Mesa 03 - Luiz Tomaz - Genildo Gomes
Mesa 04 - Diego Guerra - Ednaldo de Lima

domingo, 23 de julho de 2017

Resultado do Blitz na AXCV

O título ficou em casa! Afinal, no primeiro torneio do Circuito de Xadrez Blitz Bobby Fischer, ocorrido neste domingo na AXCV, os vencedores foram os anfitriões Fernando Sá, na categoria geral, e Fernando Melo, na categoria U1900. Em face do reduzido número de participantes, apenas oito, a prova foi realizada no Sistema Schuring, em lugar do Suíço, antes previsto. Confira abaixo a classificação completa da competição. Foi dada a largada, portanto, para o Circuito, que terá 10 etapas, cujos vencedores serão aqueles que mais pontuarem por categoria, quando serão ambos premiados com a inscrição para o Aberto do Brasil - IX Memorial Bobby Fischer, em 2018. Em breve, divulgaremos a data da segunda etapa do Circuito. Aguardem!


AXCV - Circuito de Blitz começa hoje!

Começa, logo mais, às 15 horas a 1ª Etapa do Circuito Bobby Fischer de Xadrez Blitz, na AXCV, com a disputa em 7 rodadas, no ritmo de 5'+5''.

Haverá premiação correspondente a 50% da arrecadação com as inscrições, cujo valor será de R$ 20,00. 

O campeão geral e por categoria U1900 receberão 60% e 40% da premiação, respectivamente. Os prêmios não serão cumulativos. 

Os jogadores devem portar relógio e jogo de peças.

O Circuito acontecerá em 10 etapas, com as datas das demais fases ainda  a definir. Os jogadores que somar mais pontos nas categorias geral e U1900 (a despeito de ser o campeão ou não de cada etapa), serão premiados com a inscrição gratuita no Aberto do Brasil - IX Memorial Bobby Fischer, em 2018.

A favorita de Caíssa!

Por FERNANDO MELO

(Dedico este artigo a Joaquim Virgolino)

Hoje, 23 de julho, o xadrez mundial está em festa para comemorar os 41 anos de Judit Polgar, a maior jogadora de xadrez de todos os tempos! Ela já venceu Karpov, Kasparov, Anand e etc! A chinesinha, que tanto admiro e venero, rende homenagens a Judit!

 Todas as mulheres enxadristas do mundo tem uma divida de gratidão para com Judit, por ela ter dignificado com seu talento e força, determinação e vontade o xadrez feminino em todo o planeta caissiano! Certamente Juditg Polgar é a favorita da nossa Deusa Caíssa!
Judit  com Joaquim

Juditinha com o presente da madrinha Judit




Muitos dos  nossos leitores já sabem da forte ligação que Judit tem com a Paraíba, mais precisamente com a cidade de Esperança e mais diretamente com Joaquim Virgolino, pai de Judit Polgar Virgolino. Isso mesmo, Joaquim tem uma filha que chama-se Judit Polgar! Uma homenagem a jogadora húngara. Eles são compadres, já que a nossa Juditinha é sua afilhada! Uma dia a madrinha ilustre virá a Paraíba, e tenho esperança de que ela irá visitar a afilhada e todos nós enxadristas paraibanos estaremos juntos para aplaudi-las! Longa vida, Judit!

Tomaz ministra Simultânea



Luiz Antonio Tomaz, 19 anos, ministrou simultânea contra 10 tabuleiros, com 1 hora nocaute, neste último sábado no Clube de Xadrez Miramar, sob a direção do MF Francisco Cavalcanti, vencendo todas as partidas. Para tanto, o simultanista recebeu 400 reais que representou a soma das inscrições. A iniciativa também contou com o apoio da Academia de Xadrez Caldas Vianna e da Federação Paraibana de Xadrez.  Os participantes foram Genildo Gomes, Fernando Melo, Petrov Baltar, José Mario, Marcos Akmeida, Felipes Guedes, Daniel Cavalcanti, Alejandro Gonzalez, Severino Targino e Ubirajara Barros.

sábado, 22 de julho de 2017

Circuito Bobby Fischer de Blitz na AXCV!

Neste domingo, dia 23/07, iremos promover a 1ª Etapa do Circuito Bobby Fischer de Xadrez Blitz, na AXCV, a partir das 15 horas. Serão 7 rodadas, no ritmo de 5'+5''. A inscrição será de R$ 20,00. A premiação será de 50% do valor arrecadado, sendo 60% desse valor destinado ao campeão geral e 40% para o vencedor da categoria U1900. Os prêmios não serão cumulativos.

Serão 10 etapas, com datas a definir. Aquele que somar mais pontos nas categorias geral e U1900 (a despeito de ser o campeão ou não de cada etapa), serão premiados com a inscrição gratuita no Aberto do Brasil - IX Memorial Bobby Fischer, em 2018. 

Essa Bird maravilhosa!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Francisco Dantas)

Victor Korchnoi (1931-2016)
Amigos meus, que sabem que só jogo a Abertura Bird, sabem também que gosto de pesquisar sobre ela. Hoje descobri algo que me deixou feliz. Isso mesmo, essa Bird me deixa feliz, em qualquer situação, na vitória, na derrota, no empate, e, principalmente, na pesquisa. Com essa sensação, emotiva e prazerosa, descobri que Victor Korchnoi jogou a Bird, a exemplo de Bobby Fischer, uma única vez! Logo ele que tem 4.415 partidas registradas no ChessGames! 

E perguntei a Fischer, conversando  com ele logo cedo, se sabia o motivo de Korchnoi ter jogado essa Bird uma única vez. Ele ficou em silêncio, e quando Fischer não me responde, já sei: ou não quer ou não sabe. Tudo bem, fui pesquisar e descobri!

Existe uma informação de que Korchnoi ao enfrentar Grigory Goldberg, no Torneio de Tula (Rússia) em 1950, jogou 1.f4 para evitar qualquer preparação especial em que seu adversário tenha trabalhado junto com Botvinnik, uma vez que Goldberg era segundo de Botvinnik, e, consequentemente, estudavam juntos. 

Por essa razão, deve ter surpreendido Goldberg, já que este estava preparado para qualquer 1.e4 ou 1.d4. Mas veio a Bird e esta ganhou a partida no 41º primeiro movimento. 

Fico aqui torcendo que Krochnoi tenha sentido prazer em vencer com essa abertura e tenha se divertido bastante.

E para encerrar, hoje, por coincidência, é o aniversário de nascimento de Goldberg, que nasceu no dia 22 de julho de 1908 e faleceu em 1976, aos 68 anos.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Sonhar é preciso!

Vou conversar com Bobby Fischer e pedir para ele próprio convidar esses dois da foto para  em março de 2019 jogarem o IX Memorial Bobby Fischer. Será que ele vai me atender? Vou torcer! 

Rocar sempre!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Genildo Gomes)

Devo ter jogado ao longo da vida um milhão de partidas, e dessas, 999 mil  efetuei o roque! Trata-se de uma força de expressão, mas seria mais ou menos assim mesmo. Quando acontece de não rocar, o que é mesmo raro, fica faltando alguma coisa.

Estive revendo agora o match de Fischer - Petrosian - Final de Candidatos 1971 - Buenos Aires. Foram nove partidas. Fischer rocou em oito partidas e apenas na segunda partida ele não rocou, e foi a única que ele perdeu! Sei não, visse! Achei foi pouco! Devia ter rocado, né seu Bobby!?

Tenho dois amigos que são teimosos nesse particular: Alexandre Cesar e Genildo Gomes. Eles usam e abusam da sorte, não rocando. Já falei tanto om eles, mas não tem jeito. E sabe o que acontece na prática: perdem a maioria das partidas em que não rocam.

Sabemos todos que quando se roca se deixa o rei protegido e se conecta as duas torres.  Mas quando não se roca... Meu Deus do Céu! Meu Jesusinho! 

Vejam essa partida que joguei contra um amigo do Vietnam, pela internet. Foi castigado por não ter rocado e também por jogar mal. Não quero dizer que toda vez que você não rocar, você vai perder. Não é isso. Mas ...!

Melo x Noutnoc
1.f4 b6 2.d4 Bb7 3.e3 Cf6 4.Cf3 d5 5.Bb5+ c6 6.Bd3 Ce4 7.0-0 Cd7 8.c3 f5 9.Cbd2 Cdf6 10.Bb1 e6 11.Ce4 Ce4 12,Bd2 h6 13,Be1 Be7 14.Ce5 g5? 15.Dh5+ (1-0) 

Taça Cidade de João Pessoa

Será realizado no próximo dia 19 de agosto. o Torneio Taça Cidade de João Pessoa com 1200 reais em prêmios. As inscrições estão abertas, sendo 60 reais para homens e 50 reais mulheres.
O torneio começa às 9 horas na Clube de Xadrez Miramar, com 9 rodadas de 15 minutos nocaute, valendo rating FIDE.

A premiação será assim distribuída: 
Campeão : R$ 350; Vice: R$ 250; 3º Lugar: R$ 200; Melhor Feminino: R$ 100;  Melhor até 1600: R$ 100; Melhor até 1800: R$ 100 e Melhor até 2000: R$ 100. 

A organização é da Federação Paraibana de Xadrez, com direção do MF Francisco Cavalcanti e arbitragem de Ivanilson Pereira, 

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Perder partida ganha!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Alexandre César)

Petrov enfrenta Genildo
Na I Rodada do III Memorial Caldas Vianna a partida  entre Petrov Baltar (1692) e Genildo Gomes (1580) tornou-se interessante pelos erros cometidos. Cada vez mais me convenço, nessa prática amadorística do nosso xadrez de todos os dias, que muitas partidas são perdidas por falta de concentração.

Petrov, que conduzia as brancas, tinha a vantagem material da qualidade, sendo portanto um ponto favorável a considerar. Estávamos no lance de nº 39 e a posição no tabuleiro era esta:
Brancas: Rg1, Td1, Tc1, De7, f2, g3. h4.
Negras: Rb8, Th8, Cb5, Db2, b7, a6, c6, d5.

Nesse momento as negras jogam 39. ...Cc3?? Um lance infeliz, uma vez que entrega o Cavalo com o simples 40.De5+. Mas Petrov jogou 40.Tb1??

Pelo que conheço dos dois contrincantes, só existe uma explicação: total desconcentração, uma vez que o erro é gritante, tanto para um como para o outro.  Xadrez, entre amadores, deve ser jogado como arte, ou seja em busca da beleza, da perfeição. Jogar pensando em ganhar, ou jogar temendo perder, gera insegurança, nervosismo e, a falta de concentração.

Portanto, que sirva de lição, porque erros dessa natureza podem perfeitamente ser evitados. O resultado é que Genildo  ganhou 13 pontos e Petrov perdeu 13. Quem mais perdeu nessa 1º rodada foi José Mário: 17,2 pontos do seu Elo, ao ser vencido por Antonio Dutra, que ganhou 8,6. Já Alexandre  César, que cometeu um cochilo na abertura, mas do meio do jogo ao final jogou com segurança, empatou comigo e somou 7,4 pontos, enquanto perdi 7,4 pontos. O jogo restante foi entre Eny e Ubirajara, com vitória para as negras que levou Ubirajara a ganhar 8,6 pontos e Eny perder 8,6 pontos.

A próxima rodada será quarta-feira, 26. Com os seguintes pares: 1 - José Mário x Alexander César; 2 - Ubirajara Barros x Fernando Melo; 3 -  Genildo Gomes x Eny Moura; 4 - Antonio Dutra - Petrov Baltar.

Torneio de Remígio - Notas importantes!

A campeã mundial escolar, WFM Ramyres Coelho,
vai jogar em Remígio!
Aproxima-se o dia do I Torneio de Xadrez da Cidade de Remígio, promovido pela Prefeitura local, que tem no incentivo demonstrado pelo Prefeito Melchior Batista, um ponto de notável destaque. A direção da prova será de Joaquim Virgolino, que nos alertou sobre alguns avisos relevantes. 

A competição terá número limitado de jogadores e como está havendo grande interesse pelo evento na cidade, principalmente pelo público escolar, convém àqueles que desejam participar do certame assegurar logo a sua vaga com antecedência, pois, cumpre dizer, apenas aqueles efetivamente inscritos é que poderão participar do torneio. 

Por isso, não há como assegurar a vaga para os enxadristas que pleiteiam fazer a inscrição apenas no dia do evento. Confira aqui os dados para a efetivação da inscrição, cujo valor (desde o dia 1º de julho)  é único, de R$ 60,00. 

A direção do torneio, portanto, solicita que atentem para o valor correto da inscrição e evitem transtornos com depósitos de valores cobrados em fases anteriores. 

O torneio vai acontecer no dia 6 de agosto, no Instituto de Convivência, em 6 rodadas, no ritmo de 20'KO, com R$ 1.600,00 em prêmios! 

Vale lembrar ainda que todos os jogadores devem portar relógio e jogo de peças.

Por último, uma nota: A campeã mundial escolar WFM Ramyres Coelho, que, certamente, estará participando também do torneio, vai ministrar uma simultânea contra 30 alunos da rede municipal de Remígio, na véspera do evento principal, dia 05/08, a partir das 19:30hs, também no Instituto de Convivência. 

O incrível jogador de Blitz!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Ítalo Matias *)


GM Magnus Carlsen: Elo Blitz 2914!
O GM Rafael Leitão é certamente o melhor jogador brasileiro da atualidade. O seu Elo ma modalidade Blitz é de 2609.  Já o campeão brasileiro Eduardo Matsuura é de 2419. Agora, se você ainda não sabe, pode imaginar qual o Elo Blitz de Magnus Carlsen? Confesso que assim que soube, tomei um susto! Supera a barreira dos 2900! Isso mesmo, atualmente é de 2914!

Quem era muito bom no blitz era Bobby Fischer. A única vez que ele jogou 1.f4 foi num torneio internacional de blitz, contra Smyslov. Nesse torneio, Fischer chegou na frente com 4,5 pontos de vantagem, e só tinha Grande Mestre!

Mas voltemos a Carlsen. Na abertura do Altibox Norway Chess, houve um torneio de Blitz. Carlsen foi o único invicto e ele venceu com um desempenho de 3069, e dois pontos na frente de Nakamura e Aronian! 

Vale a pena contar um episódio que ocorreu na quinta rodada, quando Carlsen, de negras, estava a postos frente a Karjakin. Antes de começar ele abriu uma garrafa de água e a mesma "pipocou", molhando a mesa. Ele levantou-se rápido e foi providenciar uma toalha Voltou, seu tempo corria no relógio, mas ele normalizou tudo e venceu a partida.

Neste torneio, nos 9 pontos possíveis, Carlsen fez 7,5. Ele empatou com Nakamura, Kramnik e Anand. Ganhou para Aronian, Vachier, Karjakin, Wesley, Caruana e Giri!

*Ítalo Matias - Conheço um pouco a história do Xadrez na Paraíba e posso assegurar que o jogador que mais me impressionou jogando blitz foi Ítalo Matias, hoje radicado no Rio de Janeiro. Ele sempre dava vantagem, jogando 5 x 1 e ganhava. Isso foi em meados da década de 80, e tão garoto ainda que seu apelido era Novinho!


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Resultados da I Rodada

Os 8 participantes na I Rodada do III Mem Caldas Vianna
Vejamos o resultado da I Rodada (19/07) do III Memorial Caldas Vianna:
Mesa 1 - Antonio Dutra x José Mário (1-0)
Mesa 2 - Petrov Baltar x Genildo Gomes (0-1)
Mesa 3 - Eny Moura x Ubirajara Barros (0-1)
Mesa 4 - Fernando Melo x Alexandre César (1/2)
Eny x Ubirajara
Petrov x Genildo
Dutra x José Mário





Fernando x Alexandre 
Dona Ana e Fernando (anfitriões)











O resultado da I Rodada (17/07) do I Memorial Miguel Botvinnik:
Mesa 1: Diego Guerra x Hamilton Nobrega (1-0)
Mesa 2 - Ednaldo Lima x Luiz Tomaz (0-1)
Mesa 3 - Genildo Gomes x Antonio Dutra (0-1)
Mesa 4 - Luciano Galindo x Claudionor Henriques (1-0)



Quem conhece Bill Hook?

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Ivson Miranda)
Bill Hook (1925-2010)


Uma das coisas que mais me apaixona no xadrez é a certeza de que vou encontrar, nas minhas pesquisas, personalidades que precisam estar na lembrança de todos e que muitas vezes são simplesmente ignoradas. Na minha visão, acredito que William Edward Bill Hook é para muitos um desconhecido.

Vejamos o que nos informa a Wikipedia:

"Bill (ou William) Hook (28 de maio de 1925 - 10 de maio de 2010) nasceu em New Rochelle, Nova York, mestre de xadrez e capitão da equipe de xadrez das Ilhas Virgens Britânicas.
Começando em 1968, Bill Hook liderou a equipe da Ilhas Virgens e, mais tarde, a equipe das Ilhas Virgens Britânicas, em inúmeras Olimpíadas de xadrez, jogando sempre no no primeiro tabuleiro. Na Olimpíada de Malta em 1980 ganhou a Medalha de Ouro por melhor resultado percentual  de qualquer membro da equipe nacional. Ele derrotou um grande mestre e vários campeões nacionais ao longo do caminho. Para comemorar essa conquista, as Ilhas Virgens Britânicas emitiram um selo em sua homenagem.

Durante as rodadas preliminares da Olimpíada de Siegen, as Ilhas Virgens estavam emparelhadas com a equipe dos EUA   e Bill Hook enfrentou o lendário Bobby Fischer. Ao tocar as peças pretas,   Bill Hook aventurou uma linha de estimação da Defesa Francesa, após o que se desenvolveu um encontro emocionante, que culminou com um robusto sacrifício por Fischer".
Na Olimpíada de Dresden 2008

Bill Hook escreveu um livro, bem como vários artigos para revistas e jornais sobre xadrez. No mundo das artes, ele é conhecido na pintura e fotografia. Ele morava em Washington DC com sua esposa até sua morte em 2010.

Gostaria de trazer ao conhecimento dos leitores algumas passagens da vida de Bill Hook com Bobby Fischer, mesmo porque tudo que se refere a Fischer, de 1956 a 1972, me interessa demais.
Mas isso é um tema para  um próximo artigo. Já sabemos que eles se enfrentaram em 1970. Porém iremos saber que antes dessa data eles jogaram... Vamos aguardar!

Torneio começa hoje!


A primeira rodada do III Memorial Caldas Vianna começa às 20 horas de hoje na sede da Academia Caldas Vianna e reúne oito jogadores, com direção de Fernando Sá e arbitragem de Ivanilson Pereira. O tempo de reflexão é de 90 minutos e o torneio vale Rating FIDE. Solicita-se que cada jogador traga relógio e que venha agasalhado.

Vejamos o emparceiramento para essa primeira rodada:
1 - Antonio Dutra - José Mario Espínola
2 - Petrov Baltar - Genildo Gomes
3 - Eny Moura - Ubirajara Barros
4 - Fernando Melo - Alexandre César.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Uma camisa especial!




Essa camisa azul que estou usando não é uma camisa qualquer, ela é especial, muito especial, bastante especial! Acabei de ganhar de presente do meu amigo Alexandre César. E o que ela tem assim de tão especial? É simplesmente a camisa do Stavanger Chess Club, da Noruega. O Clube foi fundado no distante ano de 1887. Depois sofreu uma paralisação e voltou em 1902. Magnus Carseln defende as cores deste Clube em torneios noruegueses desde 2010! 


Informo ainda que exemplares do nosso livro O Escudeiro de Caissa foram deixados, por Alexandre, em Praga, Budapeste e com o norueguês Kjell Terje (jogaram blitz em Praga), o mesmo que presenteou a camisa para Alexandre, e este, generosamente, passou para mim. (FM)

Simultânea é sábado!

Tomaz, com as negras, no torneio de Recife
A simultânea do talentoso Luiz Antonio Tomaz será neste sábado no Clube de Xadrez Miramar. com o tempo de uma hora nocaute. A inscrição é de 40 reais e restam poucas vagas,. Se você ainda não se inscreveu, procure o MF Francisco Cavalcanti e assim estará ajudando Tomaz a fazer seu curso em Recife, com o agora GM Yago Santiago. A simultânea começa às 15 horas. Participe, jogando ou prestigiando com sua presença como assistente.

"Nós sempre teremos Paris!"

Por FERNANDO MELO

Repercute com certa intensidade o que pretendemos realizar, uma vez eleito presidente da Federação Paraibana de Xadrez. É notório o apoio e a solidariedade a essa nossa iniciativa. Manifestações que acato com a responsabilidade de quem sabe ouvir sugestões. Considerando que a eleição ocorrerá em novembro, teremos tempo suficiente para avaliar tudo o que pode acontecer até lá, tendo em vista os quatro planos que apresentei no artigo de ontem.

Estamos acima de qualquer ideologia, crença ou preconceito. Aceitamos críticas, sugestões, com o mesmo entusiasmo que aceitamos elogios e irrestrito apoio. Aliás, ontem nos chegaram sugestões, não críticas, mas sugestões que confrontavam com o que pensamos fazer no que se refere ao novo formato do campeonato paraibano.

Recebi com respeito e passei a avaliar com a devida atenção. A primeira coisa que me veio à mente é que a sugestão passou a ser valiosa, por abrir horizontes que não tínhamos avaliado ainda a sua importância. Ou seja, como fazer um campeonato com matchs uma vez que o torna dispendioso e, portanto, de difícil execução.    

A saída para o sucesso desse plano, em boa parte, está nas cidades do interior! Isso mesmo! Vamos imaginar que na primeira fase do Paraibano 2018. uma das oito duplas, seja formada por um jogador de João Pessoa e Esperança. Certamente Joaquim Virgolino vai se empenhar para que o match de duas partidas seja na sua cidade. Imaginemos que numa outra dupla seja um jogador de Campina Grande e Picuí. Surge então o interesse da cidade de Barauna, através do professor Fagner Lima, em sediar esse match. E o plano segue com essa linha de pensamento. Daria isso certo? Caso não possa ser bem assim, lembremos que "Nós sempre teremos Paris!".

Para tanto temos que levar a sério e com responsabilidade esse plano, que certamente vai, e deve, receber novas sugestões. O importante é que se faça alguma coisa. E no momento em que a Diretoria for formada teremos uma reunião que analisará todos esses pontos. A essa altura, o Conselho também estará formado com 15 nomes de enxadristas experientes, que poderão avaliar com competência a decisão da Diretoria.

Adianto que estamos estudando os Estatutos da Federação para que as ações da futura Diretoria estejam de acordo com essa lei maior do xadrez paraibano.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Banner do CXMiramar

O Clube de Xadrez Miramar, que tem a direção do casal Lili e MF Francisco Cavalcanti, apresenta para todos os seus sócios e  enxadristas de todo o Brasil,  o Banner oficial do clube, sendo assim a sua marca registrada. Longa vida a esse Clube que é aberto às sextas e sábados de todas as semanas e palco de bons torneios e atividades enxadrísticas.

Minha candidatura à FPbX

Por FERNANDO MELO

Depois de mais de 40 anos auxiliando o desenvolvimento do xadrez da Paraíba, sempre ocupando cargos de secretário e vice-presidente, resolvo aceitar convite e me candidatar a Presidente da Federação Paraibana de Xadrez.
Venho pensando e conversando a respeito do que pode ser feito para dar uma sacudida no xadrez de nossa terra. Confesso que estou entusiasmado com os planos que tenho em mente, mas para tanto preciso contar com o apoio de todos e em todo o Estado.

Vejamos alguns desses planos, considerando minha eleição.

1 - Pretendo formar a Diretoria Executiva com os seguintes membros e seus respectivos cargos:

Presidente - Fernando Melo
1º Vice-Presidente - José Mario Espínola
2º  Vice-Presidente - Antonio Morais
1º Secretario - Ubirajara Barros
2º Secretário - Luiz Fabio Jales
Diretor Técnico - Ivanilson Pereira
Diretor Financeiro - Silvio Sá  
Diretores do Interior - Fabson Palhano, Joaquim Virgolino  e Biu de Patos. 

OBS: Será criado um Conselho o qual contará com 15 membros.

2 - Cadastro e Anuidade
Todos os jogadores de xadrez da Paraíba que queiram competir em torneios, deverão ser cadastrados na Federação e contribuir com uma anuidade de R$ 12,00 (doze reais)

3 - Balancete Semestral 
O diretor Secretário e o diretor Financeiro apresentarão nos meses de junho e dezembro uma prestação de contas de todas as atividades da Federação.   

4 - Campeonato Paraibano

A - A partir do próximo ano (2018) o Campeonato Paraibano terá o formato de matches. Serão 16 jogadores, sendo que o Memorial Bobby Fischer (março) indicará 14 jogadores paraibanos melhor classificados (incluindo os pessoenses e campinenses) , 2 jogadores do Regional do Brejo e 2 jogadores do Regional do Sertão com torneios classificatórios com a supervisão da Diretoria Técnica.

B - Uma vez conhecido os 16 participantes, será formado 8 duplas, seguindo a força do Rating. Cada dupla jogará duas partidas invertendo as cores. Restando 8 jogadores, teremos a etapa seguinte, com 4 duplas jogando quatro partidas. Na terceira etapa, restando quatro jogadores. teremos duas duplas, jogando seis partidas. E a grande final com os dois jogadores restantes, que se enfrentarão em oito partidas e o vencedor será o Campeão Paraibano. Vale salientar que todo esse desenrolar do Campeonato Paraibano valerá rating FIDE e as despesas correrão por conta da Federação.

Essa plataforma de governo da futura administração, deverá ser analisada por toda a Diretoria Executiva, uma vez eleita, e acataremos, no momento devido, sugestão dos enxadristas paraibanos

Em linhas gerais, são esses quatro pontos que acreditamos dar um novo clima, provocar mais emoção e interesse para que tenhamos uma Federação Paraibana de Xadrez cada vez mais forte, competitiva e respeitada. É no momento o que temos a adiantar para os paraibanos como plataforma de governo.   

domingo, 16 de julho de 2017

Caldas Viana - A imortal brasileira!

Revendo nossos arquivos pessoais de xadrez, encontramos o recorte ao lado, referente a uma matéria jornalística, de autoria de Fernando Melo, na qual não temos registro do ano da publicação, nem do periódico que o publicou. Ainda assim, pela relevância do seu conteúdo, tratamos de reproduzir aqui, para os leitores deste blog apreciarem a parte do texto que se refere à partida de xadrez tida como a imortal brasileira. Eis a matéria:

O maior jogador do país no século passado e primeiras décadas do nosso [naturalmente o autor refere-se ao século XX], foi Caldas Viana. Em 1900 era conhecido na Europa por produzir a bela sequência de sacrifícios e combinações, bem ao estilo romântico da época, como diz Valdemar Costa, jornalista e autor de vários livros sobre xadrez.

Essa partida que o tornou ainda mais conhecido é a mais famosa e chamada de imortal brasileira. Antologias e estudos enxadrísticos no mundo inteiro já se preocuparam com ela. Está incluída no abalizado The Golden Treasury of Chess, de Vellmuth (Philadelphia, USA), e foi também comentada pelo mestre argentino Roberto Grau, em termos altamente elogiosos, no erudito Tratado General de Ajedrez (Vol. II, pg. 56).

[O restante do artigo sobre a Imortal Brasileira reproduz a partida, com comentários, os quais o leitor pode ver clicando na imagem abaixo].

Caldas Viana - A. Silvestre Barros
Rio de Janeiro, 1900
Gambito Evans

sábado, 15 de julho de 2017

Torneio em Setembro


Nosso livro em Praga!

Por FERNANDO MELO

Alexandre aguarda a resposta de Teerje
Nosso amigo promotor e enxadrista Alexandre César deu um giro pelas "oropas", levando na bagagem, ao meu pedido, alguns exemplares de O Escudeiro de Caíssa. E não é que ele deu conta do recado! Vejam o que ele mandou dizer, com uma mensagem para meu filho Fernando Sá.

"Fernando, diga ao seu pai que deixei um livro dele sobre Bobby Fischer no Hotel Julis, em Praga. Lá a proposta é jogar xadrez no café. Entretanto, eu e um amigo da Noruega, Kjeel Terje, jogávamos à tarde. Dei um livro de Fernando Melo também a Terje, que ficou maravilhado e mostrou aos seus familiares. Ele é louco por xadrez. Toda viagem que faz joga. Quando ficávamos sozinhos, o idioma compatível era a anotação e o nome das aberturas. Seguem as fotos...".

E assim, graças a iniciativa desse generoso amigo que é Alexandre César, com quem jogo quarta-feira próxima, na primeira rodada do III Memorial Caldas Vianna, temos nosso livro cruzando fronteiras!  

Os 89 anos de Benko!

Por FERNANDO MELO

O francês, húngaro e norte-americano Paul Benko chega hoje aos 89 anos bem vividos. Fui seu guia durante 11 dias quando aqui esteve em 1977, acompanhado da saudosa brasileira WMI Ruth Cardoso (1934-2000). Benko tem muitas histórias, e as poucas que sei daria um bom livro.  

Foi sem dúvida um dos maiores rivais de Bobby Fischer, dentro e fora do tabuleiro. Os melhores jogadores de sua época de ouro (décadas de 60 /70) tiveram que enfrentá-lo nos torneios internacionais, incluindo os Interzonais e Candidatos.

Mas eu queria me limitar a contar dois episódios que vivenciei quando de sua estada aqui em João Pessoa.

O primeiro foi com o nosso atual MF Francisco Cavalcanti, na época um garoto. Benko ministrava uma simultânea no antigo Dede. Na cerimônia de abertura do evento eu fiz uma saudação e me dirigindo diretamente a Benko (através de Ruth), eu disse que ele iria vencer a todos (20 jogadores), menos esse garoto, e apontei para Chiquinho. E a minha profecia se confirmou. A partida Benko x Chiquinho, última a terminar, foi empate!

O segundo episódio, que tem uma carga de humor, foi na sede central do Esporte Clube Cabo Branco. Benko jogava blitz com quem quisesse. A certa altura, ele foi explicar uma posição, sob o olhar atento de todos, quando "X",um colega nosso que tinha esse apelido e era muito atrevido, entendeu de opinar, pegando numa peça. O nosso saudoso Ivo Bichara deu um tapa na mão de "X", clamando: "Tira a mão daí, seu filho da puta!" Como nós todos conhecíamos esse jeito "normal" de Ivo ser, caímos na gargalhada e até Benko, que não devia estar entendendo aquela reação bichariana, também riu!

Tempos bons aqueles, em que a gente era feliz e sabia!

sexta-feira, 14 de julho de 2017

"Yago, esse obrigado não tem fim!"

Tem um Grande Mestre Internacional de Xadrez em Pernambuco, criado por lá mesmo...

Uma multidão, um barulho, muita gente, muito som e tem um GM no Marco Zero... (ouvindo um som ali, de boas)

Ele anda da Boa Vista até a Jaqueira, vai pela Rosa e Silva, os carros passam, nem sonham, nem desconfiam que aquele garoto, ali pela calçada, estilo zen...

É um Grande Mestre Internacional de Xadrez!

Tão pernambucano quanto tapioca, maracatu, frevo, porque contrariando todos os "mas" e "poréns" o menino se fez grande e o CEP da casa dele é daqui, do Recife!

No alto da sé, em Pesqueira, em Petrolina, em Garanhuns, em Caruaru, um GM...

Acordando nos aflitos, longe dos outros 12 GMs, o 13o é Sport, é Science, é Vitalino.

Tem um GM chorando na Dom Bosco, lá pelo colégio contato, tem 12 anos, acabou de perder uma partida importante... Engraçado mas esse choro construiu uma grande amizade... (a vida tem disso)

Ele vai prá Barão de São Borja, o porteiro não sabe, o cara lá da lanchonete não sabe, mas esse menino é um Grande Mestre de Xadrez!!

Você tem ideia? Você não faz ideia!

Não faz mesmo! Hahahaha por que ninguém entende o impossível.

Ele fez! Ninguém antes fez, ninguém mais fez.

E ele mora em Recife, ele jogou xadrez no Parque 13 de Maio, na Rua da Aurora, em Caruaru.

Obrigado (esse obrigado não tem fim)

Yago!


(Texto de Roberto Calheiros, publicado ontem no Facebook)

Aniversário de Bird!

Por FERNANDO MELO

Hoje, 14 de julho, aniversário da Queda da Bastilha, na Revolução Francesa, ocorrida no ano de 1799. Mas, cá para nós, prefiro comemorar o aniversário de nascimento do meu querido e especial amigo Henry Edward Bird, completando 188 anos! Conversava com ele logo cedo, quando o parabenizei pelo seu dia, e logo se disse feliz ao saber que Magnus Carlsen andou jogando sua Abertura.

Nascido na Inglaterra, Bird aprendeu a jogar xadrez aos 15 anos. Em 1853, aos 24 anos, em confrontos com Ernst Falkbeer, ele jogou várias vezes 1.f4, com resultados sombrios. No entanto, esse experimento específico acabaria por se tornar famoso como Abertura Bird.

Neste momento em que escrevo este artigo sinto que a melhor maneira de homenagear Henry Bird, neste seu aniversário, é trazer ao conhecimento do leitor a sua vitória contra o temível Johannes Zukertort, que tem uma rica história. Essa partida foi jogada em Nottingham, Inglaterra, em 1886, com vitória para Bird. Das 7 vezes que os dois se confrontaram, esta foi a única que Bird ganhou, perdendo as demais. Mas usando a Abertura que leva seu nome, só jogou esta vez. Das outras vezes que jogou de brancas (4), e saiu-se com 1.e4.
Ao longo da vida, Bird jogou sua favorita 38 vezes(1856-1895), com o seguinte resultado: 14 vitórias, 23 derrotas e apenas um empate.

Jogando a Bird contra Eduardo Azevedo, em Recife
Domingo passado, no Memorial Luiz Tavares & Eduardo Asfora, em Recife, joguei contra o pernambucano Eduardo Azevedo, na última rodada. Com as brancas, minha Bird sofreu um pouco na abertura, pois no sétimo lance, Eduardo já estava com seus dois bispos fianquetados. Fiquei inferior no meio jogo, quando ele ganhou qualidade. Mas perto de entrarmos no final, ele cometeu uma imprecisão ao devolver a qualidade, que salvo melhor juízo, não havia necessidade. Com o material igualado e a estrutura dos meus peões melhor plantada, ganhar era uma questão de tempo e de paciência.

E aqui aproveito para um conselho aos iniciantes em torneio. Durante uma partida tensa, com quase 4 horas, em torno de 50/60 lances, última rodada, existindo uma vantagem posicional (no caso a estrutura de peões, quando meu adversário tinha peões dobrados, um isolado, e dois unidos, portanto três ilhas, e eu duas ilhas, sem peão dobrado, nem isolado  e bispo da mesma cor, fica difícil você perder, mas para ganhar é preciso ter paciência. Sinto que esse é o maior motivo para se ganhar uma partida com essa estrutura e após tanto tempo de jogo, quando o cansaço se avizinha. A vontade de vencer aliada à paciência, vai minando a força do adversário que está posicionalmente inferior. E foi o que aconteceu. No final, criei um peão passado e totalmente livre, levando-me à vitória.
Ganhar uma partida jogando a Bird, para mim, é uma satisfação, mas confesso e estou sendo sincero, qualquer resultado, desde que seja jogando a Bird, eu acho bom. E saibam que minhas derrotas são muitas, sem esquecer alguns empates históricos!

Para encerrar, voltemos ao velho Bird, para que possamos desejar-lhe felicidades neste dia de hoje.

Memorial Botivinnik

O I Memorial Mikhail Botvinnik, que será realizado no Clube Arte de Pensar - Colégio TOP, nos Bancários, conta com a participação de oito enxadristas, todos contra todos, e tem a direção de Fernando Melo, com arbitragem de Ivanilson Pereira. Esse torneio é organizado pela Federação Paraibana de Xadrez, valendo Rating FIDE. A primeira rodada começa segunda-feira, 17, e está assim definida:


Mesa 01 - Diego Guerra - Hamilton Nobrega
Mesa 02 - Edinaldo Lima - Luiz A. Tomaz
Mesa 03 - Genildo Gomes - Antonio Dutra
Mesa 04 - Luciano Dutra - Claudionor Henriques

Nosso árbitro no México - 2

AI Antonio Bento, em Recife,  no último fim de semana
Continuamos com a entrevista do AI Antonio Bento, concedida ao blog Reino de Caíssa e publicada no dia 27 de maio de 2012.

Os fotógrafos e cinegrafistas ficam trabalhando quanto tempo durante a partida?
Fotografias com flash e filmagem com luzes em cima da mesa só é possível nos primeiros cinco minutos de cada rodada. Mas a partida é acompanhada por filmagens sem luzes fortes em cima e sem flash depois dos 5 minutos iniciais.É proibido fazer barulho.

Quanto ao traje do jogador? Noto que Gelfand usa paletó, mas sem gravata, e Anand só usa a sua camisa azul.
O traje é definido no regulamento do match. Neste match são obrigados a usar terno, mas não há menção à gravata.

Mas Anand não vem usando nenhuma vez.
Então devem ter dado uma autorização especial para ele não usar terno.

Anand usa na caisa a marca NIIT.
Pelo regulamento é permitido que os jogadores usem marcas dos seus patrocinadores.

Os jogadores são obrigados à entrevista no final de cada partida. Não podem se recusar a falar?
O regulamento obriga que os jogadores sejam entrevistados após cada partida e têm que cumprir o ritual definido pelo organizador. Jogadores sao obrigados a cooperar com a mídia. As entrevistas após partidas têm um prazo de duração, senão fica muito cansativo para os jogadores.

Qual o critério que a FIDE usa para indicar o árbitro? Os jogadores pode recusar esse ou aquele árbitro?
Geralmente o organizador indica o árbitro que não é do mesmo país dos jogadores envolvidos. Quando fui indicado para ser árbitro Chefe do Mundial do México, recebi uma carta de Kirsan concordando com a minha indicação. Fui o único brasileiro a ser árbitro chefe de um Mundial. Foi um ato muito importante para a arbitragem brasileira, que anteriormente só teve um arbitro indicado para deputy arbitret de mundial.

O que é feito das súmulas do Mundial? Quem fica com elas? Trata-se de um documento valioso e de grande valor histórico.

As súmulas são entregues ao organizador ao final do match. Por isso, não sei se o organizador envia cópia para a FIDE. O árbitro chefe tem de fazer um Relatório Final que é apreciado pelo Board da FIDE em congresso.

As peças do Mundial e relógio são guardados como relíquia?
As mesas do Mundial do México foram guardadas como relíquia. Foram especialmente construídas por um especialista francês. O encaixe do tabuleiro digital ficou fenomenal. Chegaram ao México na véspera do Mundial. Foi uma correria para montar o salão. Participei da empreitada. Cheguei com boa antecedência à capital do México. Chegamos eu e o comentarista Leontxo Garcia, muito simpático por sinal. Leontxo foi o comentarista do Mundial. Durante anos escreveu crônicas para a revista Jaque. Hoje é cronista de El País e correspondente de várias revista.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

GM YAGO SANTIAGO!

Fonte: página oficial do evento no facebook


O PERNAMBUCANO YAGO SANTIAGO ALCANÇOU O ELO FIDE DE 2500, NO "LIVE RATING", APÓS VENCER ONTEM SUA PARTIDA NA 3ª RODADA DO III MAGISTRAL DE XADREZ VILHA TEHUELCHES 2017, NO CHILE, E, COMO JÁ DETÉM AS 3 NORMAS, DEVE TER ASSEGURADA A SUA CONDIÇÃO DE MAIS NOVO GRANDE MESTRE DE XADREZ DO NORDESTE DO BRASIL!
PARABÉNS GM YAGO SANTIAGO!

III Mem Caldas Vianna

Começa dia 19, próxima quarta-feira, o III Torneio Memorial Caldas Vianna, com a participação de oito enxadristas. direção de Fernando Sá e arbitragem de Ivanilson Pereira. 

A I Rodada começa as 20 horas, na sede da Academia Caldas Vianna, e reúne os seguintes pares:

Mesa 01 - Antonio Dutra - José Mario Espínola
Mesa 02 - Petrov Baltar - Genildo Gomes
Mesa 03 - Eny Moura - Ubirajara Barros
Mesa 04 - Fernando Melo - Alexandre César 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Nosso árbitro no México

Por FERNANDO MELO

Escrever sobre o AI Antonio Bento de Araujo Lima Filho nos proporciona uma imensa satisfação. Como sabemos ele foi o árbitro  do I Memorial Luiz Tavares & Eduardo Asfora, realizado no último fim de semana em Recife, sob a direção do MF Marcos Asfora.

O tema central deste meu artigo versa sobre sua participação no Mundial de Xadrez de 2007, no México, atuando como Árbitro Chefe, sendo assim o único brasileiro até agora, a assumir tal responsabilidade.

No entanto vamos falar primeiro sobre uma entrevista que ele nos concedeu em maio de 2012, transcrevendo-a para que os leitores possam ir se familiarizando com o nosso Antonio Bento, que  conta com minha admiração e o meu respeito.

Entrevista: domingo, 27 de maio de 2012.

AI Antonio Bento

É comum os GMs anotarem errado na súmula?
Erro de anotação é normal quando o jogador se descontrola. Os GMs também borram planilhas.

O árbitro pode acionar o relógio pelo jogador, caso esse esqueça de bater?
Normalmente o árbitro não pode acionar o relógio. O árbitro deverá abster-se de informar ao jogador que seu oponente fez um lance ou que o jogador não acionou o relógio (vide final do art. 13.6). Mas como lhe falei, os matchs têm regras próprias e o árbitro deve usar o bom senso e acionar o relógio... valendo-se do preâmbulo da lei. Nos matchs há previsão de um árbitro anotar a partida para o jogador.

Uma coisa que me chamou a atenção foi o árbitro auxiliar trazendo café para Anand.
Nos torneios de categoria XX em diante os jogadores recebem tratamento especial e nos matchs, o tratamento é mais especial ainda. Então, há árbitros auxiliares que são verdadeiros garçons de luxo.

Até agora, no match Anand x Gelfand, ninguém chegou atrasado. No tempo de Fischer era diferente.
Sim, pontualidade é exigida. Se o jogador chegar atrasado é multado. E só o árbitro chefe tem poderes de perdoar uma multa.

Multa monetária ou multa no relógio (tempo)?
Multa de parte da premiação. No Mundial do México, eu perdoei uma multa que o Morozevich iria sofrer. Quando o jogador chega atrasado recebe uma carta do árbitro perguntando qual o motivo do atraso. Dependendo da resposta do jogador, a multa pode ser aplicada.

Os fotógrafos e cinegrafistas ficam trabalhando quanto tempo durante a partida?

(A resposta teremos na segunda parte deste artigo. Aguardem)