sábado, 30 de setembro de 2017

Doriedson vence Nordestino de Blitz!

DORIEDSON LEMOS FOI O GRANDE CAMPEÃO DO V TORNEIO NORTE-NORDESTE DE XADREZ BLITZ, OCORRIDO HOJE NO PARTAGE SHOPPING, EM CAMPINA GRANDE! 
CONFIRA ABAIXO A CLASSIFICAÇÃO COMPLETA DO EVENTO E FOTOS DA PREMIAÇÃO (ENTREGUE AOS VENCEDORES POR FERNANDO MELO, 
EM CAMPANHA PARA A PRESIDÊNCIA DA FPBX).

Doriedson Lemos, com seu troféu e premiação de campeão, ao lado de sua esposa Cristiane,
bem como de João Tejo (organizador) e Fernando Melo (com seu neto Daniel)

Carlos Capivara (2º)

João Tejo (3º)

O Pódio com os 3 primeiros!

MN Paulo Barbosa (4º)

Rondinelle Pessoa (5º)

Rafaell Wanderley (6º)

Fabson Palhano (7º)

Matheus Henrique Barbosa (Melhor Paraibano)

MN Evandro Rodrigues (Melhor Campinense)

Alexandre Machado (Melhor +50)

Judit Polgar Virgolino (Melhor Feminino)

Hiarly Fernandes - Melhor Sub-18


O xadrez ou o dinheiro?

Por Rewbenio Frota


O xadrez tem um poder arrebatador sobre muitas pessoas, algumas enamoram-se do jogo pela vida inteira, outras vivem somente uma intensa paixão que se apaga com o tempo (ou com as derrotas).
O grau de amor pelo jogo nem sempre equivale ao grau de competência. O grau máximo de competência no xadrez é simbolizado pelo título de Grande Mestre Internacional (GM) que ao longo da história tem sido alcançado por uma ínfima parcela da humanidade. Um título assim deveria garantir uma longa e feliz vida nos tabuleiros, certo?
Infelizmente não tem sido o caso.
Cada vez mais jogadores de alto nível têm abandonado o xadrez competitivo como forma de  sustento e partido para outras atividades, às vezes até mesmo outros jogos, que conferem uma renda mais estável. Para os aficionados parece um grande desperdício, um talento mal alocado, mas os enxadristas também estão submetidos à mesma realidade dos demais mortais: é preciso um trabalho “normal” que ofereça uma renda viável.
No recente livro The Rookie: An Odyssey Trough Chess (and Life) (ainda sem título no Brasil), o autor Stephen Moss (jornalista e enxadrista amador) fala bastante do dilema do GM moderno. Na prática somente aqueles que conseguem manter-se com rating acima de 2700 (atualmente cerca de 40 jogadores no mundo inteiro) têm chance de receber convites (remunerados) para torneios de elite com boa premiação, recebem ofertas de patrocínio, e assim não precisam dividir seu tempo com atividades como dar aulas ou escrever artigos, podem focar todo o tempo e energia em melhorar seu jogo. Fora dessa pequena elite, as demandas financeiras acabam por afastá-los da competição, e muitas vezes até do jogo!
Há atividades muito bem remuneradas que são ideais para a mente ágil de um GM, o mercado financeiro é uma delas (inclusive procura novos talentos entre os enxadristas). Numa pesquisa rápida, pelo menos três Grandes Mestres têm destacada carreira como especialistas em finanças: Kenneth (‘Ken’) Rogoff (EUA, último rating 2505), Patrick Wolff (EUA, último rating 2564) e Pascal Charbonneau (CAN, último rating 2505).
O que esperar de um GM que abandona o jogo por outra atividade? Acho que todos têm grandes chances de sucesso. São pessoas de elevada capacidade mental, determinadas, e que gostam muito de vencer. Ken Rogof, por exemplo, tornou-se um dos mais respeitados economistas dos EUA, professor de Harvard, escritor e diretor de pesquisa do FMI. Ainda joga informalmente, inclusive com Magnus Carlsen!
O xadrez perdeu um GM, o mundo ganhou um grande economista!
Como consolo, o xadrez também vê novos talentos surgindo, como o indiano Rameshbabu Praggnanandhaa (o mais jovem Mestre Internacional da história, aos 10 anos de idade) que ainda tem chances de bater o recorde de Karjakin de mais jovem GM da história. Enquanto são jovens, eles podem dedicar-se aos mistérios do jogo e deleitar os aficionados com suas fantásticas ideias; para eles, o mundo ainda é imensamente mais simples que um tabuleiro com algumas peças sobre ele.

É hoje !




CAMPINA GRANDE - PARAÍBA
LOGO MAIS, ÀS 13 HORAS, 
VAI COMEÇAR A GUERRA! 
SÃO 13 RODADAS!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Aronian ganha Copa do Mundo!

O GM armênio Levon Aronian (2799 ganhou a Copa do Mundo, ao derrotar o chinês Liren Ding(2777), na Final, com 4 empates e duas vitórias.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Master Pessoense começa dia 4

O I Master Pessoense U1900 começa no dia 4 de outubro e contará com 10 participantes já devidamente inscritos. A primeira rodada será às 20 horas na Academia Caldas Vianna e está assim conhecida:

01 - Eny Moura - José Mário 
02 - Fernando Melo - Genildo Gomes 
03 - Antonio Dutra - Diego Guerra 
04 - Luciano Galindo - Hamilton Nóbrega 
05 - Alexandre César - Petrov Baltar

Saudades!

NESSE TEMPO A GENTE ERA FELIZ E SABIA!

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

A marca de Valeriano!

Valeriano recebendo sua premiação do presidente da FCX
Por Fernando Melo
(Dedico este artigo ao saudoso Mestre Edmar Monte)

Quem é Marcelo  Valeriano Silva Junior? Sei não. Não sabe? Sei não. Então você agora vai saber. Ele é de Pernambuco, tem 28 anos e jogou o Aberto do Brasil - I Memorial Luiz Gentil, em Fortaleza nesse último fim de semana. Também jogaram os paraibanos Luis Tomaz e Genildo Gomes.


Muito bem. Mas agora você me deixou curioso. Antes de falar dos paraibanos, o que fez esse tal de Valeriano? Pois é, ele fez e fez muito. Considerando seu ELO de 1793, ele terminou o torneio em terceiro lugar. Se você considerar que ele começou em 23º lugar no emparceiramento da 1ª primeira rodada, já se sente que ele fez demais. E sabe quantos pontos ele ganhou? Ganhou 71.4! É ponto demais!

E sabem para quem ele ganhou na 1ª rodada? Dawton Lemos, o número 2 na classificação inicial e com Elo 2206, ou seja, mais de 400 pontos acima de Valeriano.

Como se não bastasse, esse pernambucano  não perdeu nenhuma das cinco partidas restantes. Empatou na 2ª rodada com Danilo Alves (2060). Mais um empate na terceira, com Mario Correia (2098). Ganhou de Ítalo Leite (1904) na quarta rodada. Ganhou para o experiente Fred Saboya ( 2154) e empatou na última rodada com o campeão do torneio, MF Silvio Pereira (2276).

A grande surpresa negativa foi o jovem cearense Dawton Lemos, que perdeu 45.2 pontos Elo, somou apenas 1.5 pontos e terminou em 40º lugar num total de 45 participantes.

Pela Paraíba, a revelação foi Genildo Gomes, que somou 3 pontos, com duas vitórias, dois empates e duas derrotas. Ele empatou na primeira rodada com um Mario Coreia que tem quase 500 pontos a mais do que ele. E empatou essa partida estando bem melhor. Considerando que todos os seis adversários tinham Elo maior do que o dele, prova-se que Genildo ao somar 50º dos pontos, fez uma boa campanha.

O mesmo não podemos dizer de Luiz Antonio Tomaz. Não que tenha decepcionado, mas é duro ver ele perdendo na primeira rodada para a um adversário de Elo 400 pontos abaixo do dele. No final, Tomaz voltou para João Pessoa em 10º lugar, 4 pontos e um Elo mais baixo em 18.4 pontos. 

domingo, 24 de setembro de 2017

Princesa Isabel - A força do xadrez escolar!

No sábado, 23 de setembro, foi realizado no IFPB Campus Princesa Isabel, o II Torneio de Xadrez, em comemoração ao aniversário de fundação da instituição de ensino. O torneio, parte integrante do Projeto de Extensão “Xadrez Escolar: potencializando conhecimentos, integrando a comunidade e expandindo o esporte na cidade de Princesa Isabel – PB”, contou com a participação de 30 enxadristas, do IFPB e das escolas parceiras, sendo organizado pelo Prof. Amílcar Pessoa, coordenador do projeto.

Antes do início do torneio, houve a inauguração da Sala de Xadrez “Antônio Cláudio França Pessoa”, na Biblioteca do Campus, local onde os enxadristas poderão treinar, utilizar a literatura especializada e jogar para aprimorar o jogo. A sala conta com 18 jogos de peças e tabuleiros e 8 relógios de xadrez, além do tabuleiro de metal magnético para ministrar aulas.



O torneio aconteceu no recém-inaugurado Refeitório do Campus e, após congresso técnico, iniciou às 9:00 h, nas categorias masculino e feminino. O sistema adotado na disputa foi o Suíço em 6 rodadas, com tempo de 15 minutos para cada jogador em cada rodada.



Ao final do Torneio, na Categoria Masculino, os resultados foram:

1º lugar: Matheus Lima (Escola Estadual Nsa. Sra. Bom Conselho)
2º lugar: Francisco José (IFPB Princesa Isabel)
3º lugar: Allefy Willamy (IFPB Princesa Isabel)

Na Categoria Feminino, os resultados foram:

1º lugar: Mariana Cosme (IFPB Princesa Isabel)
2º lugar: Elisama Leila (IFPB Princesa Isabel)
3º lugar: Jackelline Mikaelly (IFPB Princesa Isabel)


Os vencedores receberam troféus e medalhas e o enxadrista de melhor pontuação ganhou um jogo de peças com tabuleiro. Foi sorteado entre os jogadores o livro do paraibano Fernando Melo “O Escudeiro de Caissa”, sendo agraciada a enxadrista Elisama Florentino. O torneio teve a colaboração valiosa dos Profs. John, Vinícius e Karoline, que ajudaram na organização, controle dos resultados e registro fotográfico das partidas.



(Texto e imagens de Amílcar Pessoa)

Participe!

NÃO PERCA O BONDE DA HISTÓRIA DO XADREZ PARAIBANO! 

Clube Campestre apoia o xadrez!

O Clube Campestre de Campina Grande, o mais tradicional clube social da Paraíba, vai abrir suas portas, pela primeira vez, para um torneio de xadrez, que terá a organização da Federação Paraibana de Xadrez.

Tudo isso acontece graças ao entendimento do representante da Federação naquela cidade, Fabson Palhano, com o presidente do Campestre, Alex Marcolino, que ficou bastante satisfeito em ver o clube que dirige sediando a 1ª Etapa do Circuito de Xadrez "Um por todos, todos por um", no dia 15 de novembro, Proclamação da República, uma quarta feira.

Lembramos, que esse torneio será ativo, com o tempo de 15 minutos nocaute e  valerá rating FIDE.  Os três primeiros colocados receberão medalhas, e todos os participantes que ainda não estejam cadastrados, terão direito a uma anuidade, ofertada pela Federação. Será cobrada uma taxa de inscrição de 30 reais.

Lembramos ainda, que será publicado no blog da Federação um balancete financeiro dessa primeira etapa, com receita e despesa do evento.

Por fim, colocamos a disposição dos que desejam patrocinar esse Circuito, as páginas desse blog e do blog da Federação, com a publicação permanente de sua marcas, até a conclusão do Circuito, que será no final de 2018.

sábado, 23 de setembro de 2017

Mequinho prestigia Aberto em Fortaleza!

Mequinho, ao centro, com Licínio Correa (de boné), Presidente da FCX,
e demais lideranças do xadrez cearense, com o Banner do I Memorial Luiz Gentil!

O Aberto do Brasil - I Memorial Luiz Gentil, em andamento em Fortaleza, contou, na sua abertura, com a presença ilustre da lenda viva do xadrez brasileiro, Mequinho, que compareceu à capital cearense para prestigiar a memória do homenageado, um dos maiores enxadristas da região, na década de 50. 

A competição está sendo realizada no Hotel Beira Mar, em seis rodadas, com a participação de 43 enxadristas de 9 Estados da Federação. 

A promoção é da Federação Cearense de Xadrez (FCX), sob a Presidência de Licínio Correa, com organização de Ignácio Barreto e arbitragem de Cláudia Aquino. 

A prova vai até amanhã. Acompanhe pelo chess-results (link). A seguir, fotos do palco do evento.









Dois paraibanos em Fortaleza

Logo mais, às 10 horas, será jogada a terceira rodada do I Memorial Luiz Gentil 2017. Luiz Antonio Tomaz (2108), que tem 1 ponto, joga na Mesa 09, de negras, contra o piauiense Edilson Farias(1841) que tem 1,5 pontos. Já Genildo Gomes(1574) joga na Mesa 17, de Brancas, contra o piauiense José Gomes da Silva, que tem 0,5 ponto.

O curioso nesse torneio é que, considerando a força do ELO, a zebra andou solta na primeira rodada. Dawton Lemos (2206), Luiz Tomaz (2108) e Suzana Chang(2098) perderam para adversários com ELO bem abaixo. O curioso é que Dawton voltou a perder(!) na 2ª rodada para um adversário com ELO ainda mais baixo!

A boa surpresa para nós paraibanos, foi o desempenho de Genildo Gomes, que empatou na 1ª rodada com o português radicado no Ceará, Mario Correia com ELO 2098, o que fez Genildo ganhar 8.40 no seu rating.

Vamos aguardar novos resultados e fotos, que estaremos recebendo em breve. (FM)

Xadrez e futebol, ou serão a mesma coisa?

Por Rewbenio Frota


Nos grupos de discussão sobre xadrez, há somente um assunto que se intromete algumas vezes: o futebol!
Claro, estamos no Brasil, que, pelo menos até o 7 x 1, era considerado o ‘País do Futebol’. Assim, não é de se estranhar que, em meio a comentários de torneios, problemas de mate em três e outros assuntos típicos do meio enxadrístico, apareçam provocações futebolísticas (ainda que rapidamente censuradas pelo administrador do grupo, que levanta um cartão amarelo).
Num dos grupos, apareceu um jogador que também é árbitro de xadrez e de futebol! Foi o suficiente para aparecer uma pergunta sobre a eterna polêmica entre ‘mão na bola’ x ‘bola na mão’. Ao ler a excelente explicação do colega, pensei numa analogia com o xadrez:  ‘mão na bola’ é ‘peça tocada, peça jogada!’, mas ‘bola na mão’ é ‘j’adoube!’.
Haveria mais alguma analogia? Fiquei pensando depois (certamente eu não fui o primeiro). Se o xadrez é a vida em miniatura e o futebol é uma caixinha de surpresas, poderia encontrar mais coisas em comum.
Os esquemas táticos podem ser comparados às aberturas: o 1-2-7 é o Gambito do Rei, o 4-4-2 é a Ruy Lopez, o “Carrossel Holandês” é o Ataque Fegatello, o 4-5-1 é o Sistema London; e por aí vai.
Há também clara analogia entre as peças no tabuleiro e as posições dos jogadores em campo: os peões são a zaga, os cavalos são os volantes, as torres os laterais, os bispos jogam no meio-campo e a dama é a artilheira. O rei, claro, fica no gol! Até o enxadrista tem lugar na analogia: ele é o técnico da equipe (mas, graças a Deus, é bem menos xingado).
Se tem uma coisa que não deu para comparar entre xadrez e futebol foi a torcida. Neste quesito são diametralmente opostos: em campo são numerosos e barulhentos torcedores; ao redor do tabuleiro, quando muito, se reúnem alguns silenciosos perus (mães, namoradas, namorados e afins não costumam aparecer).
Mas quando o assunto é quem foi melhor do que quem, aí fica tudo parecido de novo! Esses dias, num grupo, voltou a eterna polêmica: quem foi melhor, Fischer ou Kasparov (ou outro)? Apaixonadas razões foram levantadas por fãs incansáveis de um e do outro, fatos citados, especulações lançadas, números debulhados! Mas a polêmica nunca termina. Aí eu lembrei do futebol de novo: Fischer é Pelé, Kasparov é Maradona!
Pra quê?
Alguns protestaram, pediram pra trocar os pares da comparação, outros falaram de Neymar, Zico, Di Stéfano, Puskas, Leônidas e até Biro Biro! La Bourdonnais foi comparado a Garrincha, o injustiçado, num dos poucos momentos de concordância.
Alguém perguntou, malicioso: “Se Kasparov é Maradona, qual foi o gol de mão?”. Lembrei, então, do episódio contra Judit Polgar, quando ele soltou a peça e depois voltou seu lance; mas fez tudo isso com sua própria mão, jamais a de Deus!
Assim, do nada, percebi que se quiser, posso passar horas falando de semelhanças entre os jogos: perder um pênalti é como não ver um mate em um, o impedimento é semelhante a quando uma peça está cravada, a grande área é a ala do rei, os peões protegendo o rei no roque são a barreira das faltas etc.
São tantas semelhanças que talvez até fosse pertinente, numa licença poética, alterar a frase célebre de Tarrasch: o xadrez, como o amor, como a música, como o futebol, tem o poder de fazer os homens felizes!

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

NOTA IMPORTANTE

 Solicitamos a atenção para as modificações feitas no texto da matéria - Uma premiação diferente! - e que se refere especificamente à data. Será no dia 15 de novembro deste ano de 2017, em Campina Grande. (FM)

Faltam duas semanas!


VEJA RELAÇÃO DOS PRIMEIROS PARTICIPANTES NO CHESS-RESULTS (LINK)

Uma premiação diferente!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo à Mestra Luzirene Farias)


O I Circuito de Xadrez "Um por todos, todos por um", que será promovido  e organizado pela Federação Paraibana de Xadrez, tem como finalidade maior o fortalecimento da interiorização  e, como grande novidade, terá uma premiação diferente, muito diferente, bastante diferente.

Esse Circuito, que contará com seis etapas, sendo que cada etapa numa cidade diferente. A primeira etapa será em Campina Grande no dia 15 de novembro. A segunda etapa, em João Pessoa, no dia 7 de janeiro. As outras quatro etapas serão divulgadas oportunamente, após contatos com as outras cidades.A inscrição será de 20 reais. Não haverá premiação em dinheiro nas etapas preliminares e o vencedor receberá uma medalha. Os seis campeões das seis etapas vão jogar a Grande Final, que acontecerá no final do 2018 no excelente auditório do SDE - Sistema Dinâmico de Ensino, na agradável cidade de Alagoa Grande.

E como será essa premiação? Os seis finalistas jogarão entre si. Portanto, cada participante terá que jogar cinco vezes. Cada vitória, por rodada,o jogador receberá 50 reais. Além dessa premiação, o vencedor do Circuito receberá Medalha e mais 250  reais. Lembramos que essa  Grande Final será jogada em apenas um dia, um domingo, manhã e tarde, sendo duas rodadas pela manhã e três rodadas à tarde, com o tempo de meia hora nocaute.


Hino do xadrez paraibano!

Amor, Música e Xadrez: de Dr. Tarrasch a Dr. João Tejo

Assim como o amor e como a música, o xadrez tem o poder de fazer as pessoas felizes! (Dr. Siegbert Tarrasch)

Um sonho vai se transformar em realidade no próximo ano. O amor e a música vão se unir e gerar o Hino para a Federação Paraibana de Xadrez! 
Dr. João Tejo: compositor e enxadrista

Após uma conversa que tivemos num almoço em Alagoa Grande, o Dr. João Tejo, Juiz de Direito aposentado, compositor, violonista e enxadrista, que em parceria com Capilé fez uma linda música homenageando Campina Grande, sua cidade, decidiu que vai presentear os enxadristas paraibanos criando o Hino da Federação Paraibana de Xadrez.

Sonhar é preciso, daí nossa esperança de que na partida inaugural da Final do Paraibano de 2018, seja ouvido esse Hino com os enxadristas presentes perfilados! (FM)

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Unidos venceremos -04

Uma campanha da Federação Paraibana de Xadrez

Os dois finalistas

O chinês Ding Liren e o armênio Levon Aronian vão disputar a Final da Copa do Mundo, que começa sábado. Serão 4 partidas.

Nós acreditamos!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Francisco Nogueira) 

Para mim, a esperança é presente no tempo e no espaço. Sempre vou acreditar naquilo que almejo para o bem de todos. Meu amigo Ivson Miranda deve estar pensando que o espírito de Don Quixote está fazendo inveja ao de Bobby Fischer. Estou com os dois, Mestre Ivson, nessa maratona de interiorização do xadrez, e sei que você sendo um homem universal vai nos ajudar, porque acredita em nosso projeto, como acreditam, por exemplo, Joaquim Virgolino (Esperança) e Marilene Sobral (Alagoa Grande)!


O cadastramento dos enxadristas à Federação Paraibana de Xadrez continua e vai continuar até o último dos caissianos de nosso Estado. Tenho certeza de que todos vão compreender da importância de se ter um controle oficial dos que praticam o xadrez entre nós. 

Tenho conversado, tenho pensado muito e tenho sonhado bastante nessa interiorização. De termos cidades como Conde, Juripiranga, Guarabira, Alagoa Grande, Esperança, Remigio, Areia, Solânea, Baraúna, Mamanguape, Bananeiras, Várzea, Mãe D´Água, Patos, Princesa Isabel, Campina Grande, João Pessoa, onde sabemos ter guarida esse projeto, uma vez que contatos diretos e indiretos estão sendo mantidos. Outras cidades se somarão, novos dias estão por vir, e a esperança que teima em ficar, e que fique sempre, vai continuar nos dando força para ir em frente com o apoio de todos.

Continuamos com 12 cadastrados e os 120 reais (10 reais por ano) já foram depositados na conta da Federação. Vamos aumentar esse número e desde já deixo aqui a conta da FPBX: Banco do Brasil - C/C 17388-5 Ag 3502-5. 

Sábado, dia 30, estaremos em Campina Grande, com as fichas de cadastro para que sejam preenchidas pelos que não se cadastraram ainda. E assim vamos, com muita fé, cheio de planos, com lances ousados numa partida que não tem fim.