domingo, 29 de maio de 2016

Uma derrota inesquecível!

Por Fernando Melo

Fischer diante de Palermo,

Fischer foi, é e será sempre o maior jogador de xadrez de todos os tempos. Perguntem a Kasparov e a Carlsen e eles dirão que sim! Existem catalogadas 997 partidas dele, com 568 vitórias, 295 empates e 134 derrotas. É um número muito expressivo. Dito isto, gostaria de chamar a atenção do leitor para uma derrota que Fischer sofreu em apenas 15 lances durante uma simultânea, quando ele estava no auge de sua fama e prestígio, já despontando como o futuro campeão do mundo, tal a força do seu jogo. Estamos falando do ano de 1970.


O seu carrasco foi um jovem de 17 anos chamado Carlos Garcia Palermo, da Argentina, que bem mais tarde foi para a Italia onde naturalizou-se. Estou aqui a imaginar a emoção de Palermo diante desse raro, muito raro, bastante raro acontecimento! Imagino um salão lotado, onde todos voltaram seus olhares para aquele jovem jogador que ousou derrotar Bobby Fischer, em apenas 15 lances! 

Palermo conquistou o titulo de MI em 1981 e de GM em 1985, quando ainda vivia na Argentina e na Olimpíada de Dubai, 1986, jogou pela última vez defendendo as cores do seu país natal. Jogou mais duas Olimpíadas, a de 1992 e 2006, pela Italia. Atualmente, Palermo está com 62 anos e desde 2013 é trainer da FIDE.


sábado, 28 de maio de 2016

O xadrez na vida de Réti

Por Fernando Melo
Hoje é o aniversario de nascimento de Richard Réti

É dolorido, muito dolorido, bastante dolirido para uma pessoa ser forçada a interromper seu plano e esperança de vida - fazia doutorado em Matemática - por conta da I Guerra Mundial.  Convocado, o jovem Richard Réti, por conta da sua frágil constituição física foi poupado de ir para o front, mas ficou servindo em um escritório. Foram tres anos de guerra frustantes e como muitas vezes ele reclamou, sem acesso a uma biblioteca científica. Ocorre que a deusa Caissa devia estar atenta e não o abandonou, pois Réti tinha mais e mais tempo para se dedicar ao xadrez, que usava como hobby.. Em 1918 ele experiemntou a sua primeira grande vitória, ao vencer o torneio de Kassa, na frente de Vidmar, Breyer, entre outros. Terminada a guerra, Reti e sua familia (pais e irmão) tiveram momentos difíceis em face da inflação alta instalada no país (Hungria), chegando mesmo a passar necessidades básicas..

Apesar de Kassa ter sido um torneio de nivel nacional, a vitória de Réti alertou o mundo do xadrez até que ele recebeu convite que ia mudar a sua vida. A Federação de Xadrez da Holanda o convidou para atuar como Mestre de xadrez em Residence. Era por alguns meses e durou vários anos! Esse episódio holandês significou para Réti uma virada decisiva em toda sua carreira e vida.

Tenho por Réti um especial carinho pelo muito que ele representa para o fortalecimento do xadrez. Hoje, 28 de maio, é o aniversário de seu nascimento, quando completaria 127 anos. Seus livros, seus estudos de Final, a Abertura que é imortalizada com seu nome e jogada atualmente por muitos Grandes Mestres, se somam para deixá-lo bem situado na galeria dos grandes nomes do xadrez internacional. 
.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Morreu Pomar!




O GM espanhol Arturo Pomar morreu ontem aos 84 anos. Foi campeão espanhol sete vezes e jogou pela equipe nacional doze olimpíadas de xadrez consecutivas, de 1958 a 1980. Ele enfrentou Bobby Fischer, apenas uma vez. Foi no Interzonal de Estocolmo em 1962, e jogando de negras, Pomar arrancou um empate após 77 lances!

Nunca desista!

Por Fernando Melo

Assim como na vida, você só pode ter sucesso no xadrez se você não desistir. Sei que a caminhada é longa, as vezes espinhosa, dolorida, mas você deve ter esperança, acreditar no seu potencial e saber que é uma questão de tempo. Esta semana fiz essa constatação ao assistir a ascensão do nosso amigo Alexandre César. Digo isso com toda confiança, com responsabilidade e sem subterfúgios.

Nas nossas aulas de xadrez, ao longo de muitos meses, Alexandre mostrava-se um jogador que não media consequência para aplicar um plano. Me deu trabalho no começo, quando eu dizia que era preciso rocar logo e não trocar peças na abertura desnecessariamente. Ele parecia não me ouvir, pouco rocava e muito atacava. O resultado era desastroso. Mas ele tinha algo que me cativava: a vontade de jogar e, evidentemente, a vontade de aprender. Homem de um belo caráter, Alexandre foi se educando nos ensinamentos básicos e aos poucos começou a aceitar nossas posições. O tempo passou, foi passando e chegamos a quarta feira passada, dia 25.

O que vi foi um Alexandre César jogando um xadrez de gente grande, sabendo o que estava fazendo, com uma paciencia que me assustou. Jogamos quatro partidas,  a primeira com uma hora nocaute, terminou num empate proposto por ele, numa posição em que estava melhor. Nas duas seguintes, agora com meia hora nocaute, ele ganhou e ganhou bem. Jogamos uma quarta e última, de 15 minutos, e venci. Mas o saldo desse encontro foi altamente positivo como lição de vida. Acreditei no que estava vendo, não avalio agora se joguei abaixo da minha capacidade, mas confesso que fiquei feliz por saber que Alexandre fez bem em não desistir.    



quinta-feira, 26 de maio de 2016

O mais amado!

Por Fernando Melo

Bogart numa das cenas marcantes de Casablanca
Gostar de um filme é relativo. Cada um tem sua preferência. Eu pelo menos gosto de O Homem que Matou o Facínora, (1962um faroeste de John Ford.  Tem gente que adora E o Vento Levou... (1939) e por aí vai. Penso, no entanto, que existe um filme que é o mais amado para todos. Chama-se Casablanca! (1942) As estatisticas dizem isso. É um desses filmes que nunca perde o seu verniz, quaisquer que sejam as explicações. Críticos famosos assinalam que o Cidadão Kane (1941) é o maior filme de todos, no entanto esses mesmos críticoss admitem que Casablanca é o mais amado.

Qual o enxadrista que não conhece esse filme? Acredito que poucos, pois aquela cena de Humphrey Bogart jogando xadrez é inesquecível. Devemos ter em mente que o xadrez está presente em muitos filmes. Tem um curta nacional, que gostei muito, chamado O Xadrez das Cores. (2004) Quem ainda não viu precisa ver, vale a pena.

Tem um outro filme que também gosto.La Joueuse (A Jogadora),(2009)  que conta a historia de uma camareira que ao conhecer os movimentos das peças, passa a sentir uma mudança radical em sua vida. É uma boa historia, com música excelente e vale a pena também. Por fim, acredito que  o xadrez e o cinema andam de mãos dadas, para o bem de todos nós! 

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Krikor e a Olimpíada

Por Fernando Melo


Todos nós sabemos que a Armênia e o Azerbaijão não se entemdem por conflitos de terras, já que são vizinhos. Uma possível guerra entre esses dois países torna o clima por lá muito tenso. O GM Krikor Mekhitarian, que é descendente de armênio, desistiu de participar da equipe brasileira que irá para Baku jogar esse grande torneio, o maior da FIDE. Compreensível a posição do enxadrista brasileiro, todavia surgiu um fato novo.

O presidente da FIDE, Kirsan Ilyhinovumzh, assegurou que a Armênia vai participar da 42ª Olimpíada de Xadrez Munidal, entre os dias 1º a 14 de setembro deste ano, em Baku, Azerbaijão, adiantando que o impasse foi resolvido durante sua recente visita a Armênia. "Atualmente - diz ele - nenhuma recusa recebí das autoridades daquele país, e isso signfiica que os jogadores de xadrez da Armênia vão participar da Olimpíada em Baku". 

Bem, resta agora esperar se a posição do grande mestre brasileiro será revista, considerando que ele é um especial reforço na nossa equipe. Respeitamos qualquer decisão de Krikor, mas devemos entender que a diplomacia do Presidente da FIDE funcionou e, oxalá o xadrez sirva até de ponte para uma trégua no conflito, ou mesmo a paz definitiva. Vamos torcer! 

terça-feira, 24 de maio de 2016

Paris é uma festa!

Por Fernando Melo


A ideia que tenho de Paris é de uma festa permanente. Calro que não é assim, lá como em toda a Europa, tem problemas de toda a ordem, mas no meu imaginário, talvez por culpa de Ernest Heminguay que la morou na juventude e mais tarde escreveu um dos seus livros de memórias, com o titulo Paris é uma Festa. Aliás, o livro foi publicado postumamente. Deixando a literatura um pouco de lado, mas voltando sempre que possível, vamos ao xadrez!

Dez dos melhores jogadores do mundo estarão competindo ao longo de quatro dias com um oprêmio de 150 mil dólares, o Paris Grand Chess Tour, nos dias 9 a 12 de junho no La Maison de la Chimie, em Paris, no sistema de parrtidas Rápidas e Blitz. Entre eles, Magnus Carlsen, Vladimir Kramnik, Hikaru Nakamura O torneio será inaugurado pelo ex-campeão do mundo e uma lenda viva do xadrez, Gary Kasparov..

Para quem gosta de acompanhar torneio pela internet, temos aí uma boa pedida, já que todos os jogos serão transmitidos ao vivo. Lembremos que Carlsen é o campeão dessas modalidades, além de campeão clássico e o melhor FIDE do mundo. Logo, não tenho dúvidas de que ele é o grande favorito, apesar dos seus colegas serem bastante resistentes. Mas vamos aguardar e que Paris continue essa festa para o xadrez internacional.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Descobrindo talentos !

Por Fernando Melo

Mateus(E) com o irmão Felipe e o Paladino
 do Nordsste no encerramento do Bobby Fischer 2016
A oportunidade que as crianças de hoje têm em aprender xadrez é bem diferente de antes. No meu tempo de menino, década de 50, não tinha professor e livro de xadrez era uma raridade. Computador nem se pensava e os jornais sequer falavam em xadrez. Mesmo assim aprendi, olhando os mais velhos jogando, o que acontecia acidentalmente. Tempo difícil se comparado com hoje, onde a criança além do incentivo dos pais, que é fundamental, dispõe de toda uma estrutura para facilitar o desenvolvimento do seu talento. 

Tenho alunos de várias idades, a partir os 6 anos, e vejo nas crianças - que nao deixam de ser crianças - uma oportunidade de desenvolver seus talentos. A facilidade de executar determinada atividade pode ser aprimorada com a presença de um orientador, desde que a criança  esteja disposta. Algumas vezes, são os pais que querem, e isso nao deixa de ser importante, mas é preciso que a criança esteja conectada com essa ideia. Afinal quem vai aprender é a criança.

Vejo, com otimismo, que a Paraíba pode despontar com essa nova geração. Já tivemos no passado crianças talentosas, e talvez a mais famosa delas tenha sido Italo Matias, que a gente chamava de Novinho, tão pequeno ele era. Hoje temos o Luiz Antonio Tomaz, um talento importante, considerado um forte jogador, com vitórias marcantes, mas pela falta de um incentivo maior, pode perder a motivação. Atualmente, desponta em torneios escolares e mesmo entre adultos, Felipe Guedes, um jovem promissor, que com o apoio da familia e o entusiasmo do seu professor, MF Francisco Cavalcanti, vem se apresentando com relativo sucesso, mas logo logo galgará posições que fará jus ao seu talento.

Por fim, posso afirmar que tenho um aluno de 6 anos, o caçulinha, que me cativa pelo seu interesse durqnte as aulas. Claro que é uma criança, aprende como uma criança, mas pensa em crescer, em se desenvovler. Estou falando de Mateus, que gosta de vir para as aulas e isso é a melhor demonstração de que poderá, em pouco tempo, aprimorar seus conhecimento, graças, também, ao enstusiasmo de sua mãe, que não esconde a confiança no querido filho

domingo, 22 de maio de 2016

Jogos Escolares da Paraíba 2016

Os medalhistas nas duas categorias dos Jogos Escolares da Paraíba 2016
Foi realizado ontem, na Escola Municipal Leonel Brizola, os Jogos Escolares da Paraíba 2016, nas categorias Masculino e Feminino de 12 a 14 anos e 15 a 17 anos, com a participação de 27 enxadristas, representando 11 escolas e colégios da rede de ensino pública e privada. A SEJEL - Secretaria de Esportes do Estado, em parceria com a Federação Paraibana de Xadrez, organizou o evento mediante seus representantes, nas pessoas do professor Antonio Dutra da Silva, MF Francisco Cavalcanti e árbitra Cristiane Dutra. Vejamos a relação dos vencedores:

Categoria A Masculino:
1º lugar - João Felipe de Araujo Guedes - Marista Pio X
2º lugar - Alexandre Lacerda Fernandes Silva - Escola Internacional Cidade Viva

Categoria A Feminino:
1º lugar - Emerly Gomes Nascimento - Escola Municipal Duarte da Silveira
2º lugar - Naielly Lopes Dutra - Top Sistema de  Ensino

Categoria B Masculino:
1º lugar - Leandro Henrique Batista da Silva - IFPB
2º lugar - Lucas Costa Bezerra - Top Sistema de Ensino

Categoia B Feminino:
1º lugar - Emilly Priscila Gomes Nascimento - Escola Municipal Duarte da Silveira.

Luismar ministrou Curso



O MF Luismar Brito ministrou Curso de quatro aulas no Clube de Xadrez Miramar para os enxadristas Alexandre César, Genildo Gomes  e Maria do Céu, o qual foi encerrado na última quinta feira, dia 19. O Curso focou sobre estrátegia,  tática e fases da partida.

Homenageando Darcy Lima!

GM Darcy Lima com o presidente da FIDE
Por Fernando Melo

O meu saudoso amigo Gildemar Pereira de Macedo sabia o nome completo de D. Pedro I. E sabe como era? Tome fôlego: Pedro de Alcântara Francisco Antonio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon!  Você sabe o nome completo do GM Darcy Lima? Tome nota: Darcy Gustavo Machado Vieira Lima! Pois é, o Mestre Darcy é o aniversariante de hoje, chegando aos lúcidos e joviais 54 anos!

Darcy é um amigo do Nordeste, muito ele fez e continua fazendo como diretor e presidente da Confederação Brasileira de Xadrez e diretor da FIDE em defesa de nossa Região. A Federação Paraibana de Xadrez reconhece o seu empenho e deposita nele a confiança necessária para que continue sempre em defesa do xadrez nacional. Dos cinco diretores da CBX, em sua gestão, dois são nordestinos próximos de nós, o pernambucano MF Marco Asfora e o potiguar MF Máximo Macedo.

Darcy, além de dirigente é um forte enxadrista.  Varias vezes campeão brasileiro, representou o Brasil nas Olimpíadas mais de dez vezes, enfrentou jogadores da força de um Kasparov (simultânea); Topalov, Grischuk, Julio Granda, Svidler, para citar alguns.  

Vascaino assumido, a exemplo do meu filho Sílvio, com quem se corresponde frequentemente, Darcy é um homem que sabe conviver com todos e o seu prestígio aqui e alhures, é uma  prova maior da sua ação em defesa do xadrez. Ao Mestre Darcy nosso abraço e a de todos os paraibanos enxadristas, pela passagem do seu aniversário. 

Encontro de gerações!

Por Fernando Melo

Essa foto do potiguar Luiz Soares de Macedo, o Paladino do Nordeste, com os irmãos Mateus (E) e Felipe Colares, de João Pessoa, quando do VII Memorial Bobby Fischer, no mês de março passado, diz muito da sociabilidade que o xadrez potencializa ao longo do tempo, unindo gerações.

O xadrez tem esse poder de unir, de aproximar, de firmar amizades. Lembro de uma historia que ilustra bem o que estamos sustentando. Certa vez, o saudoso Romero Peixoto fez um cruzeiro com a mulher pela América do Sul. No segundo dia, sentiu-se entediado  e lembrou-se do xadrez. Foi ao bar do navio e pediu um jogo de peças. Armou o tabuleiro em uma das mesas e ali ficou por alguns minutos, quando começou a surgir interessados, circulando a mesa.  Logo estavam argentinos, chilenos, peruanos, e outras nacionalidades para alegria de Romero.

Certamente Luiz Soares ficou feliz ao lado desses dois garotos, pois o Paladino sabe, como poucos, o que o xadrez representa para o fortalecimento da família e para a educação das pessoas. É dele essa frase: "Quem ajudou a criar  meus filhos, em primeiro lugar foi Deus, depois o jogo de xadrez"