quinta-feira, 20 de julho de 2017

Perder partida ganha!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Alexandre César)

Petrov enfrenta Genildo
Na I Rodada do III Memorial Caldas Vianna a partida  entre Petrov Baltar (1692) e Genildo Gomes (1580) tornou-se interessante pelos erros cometidos. Cada vez mais me convenço, nessa prática amadorística do nosso xadrez de todos os dias, que muitas partidas são perdidas por falta de concentração.

Petrov, que conduzia as brancas, tinha a vantagem material da qualidade, sendo portanto um ponto favorável a considerar. Estávamos no lance de nº 39 e a posição no tabuleiro era esta:
Brancas: Rg1, Td1, Tc1, De7, f2, g3. h4.
Negras: Rb8, Th8, Cb5, Db2, b7, a6, c6, d5.

Nesse momento as negras jogam 39. ...Cc3?? Um lance infeliz, uma vez que entrega o Cavalo com o simples 40.De5+. Mas Petrov jogou 40.Tb1??

Pelo que conheço dos dois contrincantes, só existe uma explicação: total desconcentração, uma vez que o erro é gritante, tanto para um como para o outro.  Xadrez, entre amadores, deve ser jogado como arte, ou seja em busca da beleza, da perfeição. Jogar pensando em ganhar, ou jogar temendo perder, gera insegurança, nervosismo e, a falta de concentração.

Portanto, que sirva de lição, porque erros dessa natureza podem perfeitamente ser evitados. O resultado é que Genildo  ganhou 13 pontos e Petrov perdeu 13. Quem mais perdeu nessa 1º rodada foi José Mário: 17,2 pontos do seu Elo, ao ser vencido por Antonio Dutra, que ganhou 8,6. Já Alexandre  César, que cometeu um cochilo na abertura, mas do meio do jogo ao final jogou com segurança, empatou comigo e somou 7,4 pontos, enquanto perdi 7,4 pontos. O jogo restante foi entre Eny e Ubirajara, com vitória para as negras que levou Ubirajara a ganhar 8,6 pontos e Eny perder 8,6 pontos.

A próxima rodada será quarta-feira, 26. Com os seguintes pares: 1 - José Mário x Alexander César; 2 - Ubirajara Barros x Fernando Melo; 3 -  Genildo Gomes x Eny Moura; 4 - Antonio Dutra - Petrov Baltar.

Torneio de Remígio - Notas importantes!

A campeã mundial escolar, WFM Ramyres Coelho,
vai jogar em Remígio!
Aproxima-se o dia do I Torneio de Xadrez da Cidade de Remígio, promovido pela Prefeitura local, que tem no incentivo demonstrado pelo Prefeito Melchior Batista, um ponto de notável destaque. A direção da prova será de Joaquim Virgolino, que nos alertou sobre alguns avisos relevantes. 

A competição terá número limitado de jogadores e como está havendo grande interesse pelo evento na cidade, principalmente pelo público escolar, convém àqueles que desejam participar do certame assegurar logo a sua vaga com antecedência, pois, cumpre dizer, apenas aqueles efetivamente inscritos é que poderão participar do torneio. 

Por isso, não há como assegurar a vaga para os enxadristas que pleiteiam fazer a inscrição apenas no dia do evento. Confira aqui os dados para a efetivação da inscrição, cujo valor (desde o dia 1º de julho)  é único, de R$ 60,00. 

A direção do torneio, portanto, solicita que atentem para o valor correto da inscrição e evitem transtornos com depósitos de valores cobrados em fases anteriores. 

O torneio vai acontecer no dia 6 de agosto, no Instituto de Convivência, em 6 rodadas, no ritmo de 20'KO, com R$ 1.600,00 em prêmios! 

Vale lembrar ainda que todos os jogadores devem portar relógio e jogo de peças.

Por último, uma nota: A campeã mundial escolar WFM Ramyres Coelho, que, certamente, estará participando também do torneio, vai ministrar uma simultânea contra 30 alunos da rede municipal de Remígio, na véspera do evento principal, dia 05/08, a partir das 19:30hs, também no Instituto de Convivência. 

O incrível jogador de Blitz!

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Ítalo Matias *)


GM Magnus Carlsen: Elo Blitz 2914!
O GM Rafael Leitão é certamente o melhor jogador brasileiro da atualidade. O seu Elo ma modalidade Blitz é de 2609.  Já o campeão brasileiro Eduardo Matsuura é de 2419. Agora, se você ainda não sabe, pode imaginar qual o Elo Blitz de Magnus Carlsen? Confesso que assim que soube, tomei um susto! Supera a barreira dos 2900! Isso mesmo, atualmente é de 2914!

Quem era muito bom no blitz era Bobby Fischer. A única vez que ele jogou 1.f4 foi num torneio internacional de blitz, contra Smyslov. Nesse torneio, Fischer chegou na frente com 4,5 pontos de vantagem, e só tinha Grande Mestre!

Mas voltemos a Carlsen. Na abertura do Altibox Norway Chess, houve um torneio de Blitz. Carlsen foi o único invicto e ele venceu com um desempenho de 3069, e dois pontos na frente de Nakamura e Aronian! 

Vale a pena contar um episódio que ocorreu na quinta rodada, quando Carlsen, de negras, estava a postos frente a Karjakin. Antes de começar ele abriu uma garrafa de água e a mesma "pipocou", molhando a mesa. Ele levantou-se rápido e foi providenciar uma toalha Voltou, seu tempo corria no relógio, mas ele normalizou tudo e venceu a partida.

Neste torneio, nos 9 pontos possíveis, Carlsen fez 7,5. Ele empatou com Nakamura, Kramnik e Anand. Ganhou para Aronian, Vachier, Karjakin, Wesley, Caruana e Giri!

*Ítalo Matias - Conheço um pouco a história do Xadrez na Paraíba e posso assegurar que o jogador que mais me impressionou jogando blitz foi Ítalo Matias, hoje radicado no Rio de Janeiro. Ele sempre dava vantagem, jogando 5 x 1 e ganhava. Isso foi em meados da década de 80, e tão garoto ainda que seu apelido era Novinho!


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Resultados da I Rodada

Os 8 participantes na I Rodada do III Mem Caldas Vianna
Vejamos o resultado da I Rodada (19/07) do III Memorial Caldas Vianna:
Mesa 1 - Antonio Dutra x José Mário (1-0)
Mesa 2 - Petrov Baltar x Genildo Gomes (0-1)
Mesa 3 - Eny Moura x Ubirajara Barros (0-1)
Mesa 4 - Fernando Melo x Alexandre César (1/2)
Eny x Ubirajara
Petrov x Genildo
Dutra x José Mário





Fernando x Alexandre 
Dona Ana e Fernando (anfitriões)











O resultado da I Rodada (17/07) do I Memorial Miguel Botvinnik:
Mesa 1: Diego Guerra x Hamilton Nobrega (1-0)
Mesa 2 - Ednaldo Lima x Luiz Tomaz (0-1)
Mesa 3 - Genildo Gomes x Antonio Dutra (0-1)
Mesa 4 - Luciano Galindo x Claudionor Henriques (1-0)



Quem conhece Bill Hook?

Por FERNANDO MELO
(Dedico este artigo ao Mestre Ivson Miranda)
Bill Hook (1925-2010)


Uma das coisas que mais me apaixona no xadrez é a certeza de que vou encontrar, nas minhas pesquisas, personalidades que precisam estar na lembrança de todos e que muitas vezes são simplesmente ignoradas. Na minha visão, acredito que William Edward Bill Hook é para muitos um desconhecido.

Vejamos o que nos informa a Wikipedia:

"Bill (ou William) Hook (28 de maio de 1925 - 10 de maio de 2010) nasceu em New Rochelle, Nova York, mestre de xadrez e capitão da equipe de xadrez das Ilhas Virgens Britânicas.
Começando em 1968, Bill Hook liderou a equipe da Ilhas Virgens e, mais tarde, a equipe das Ilhas Virgens Britânicas, em inúmeras Olimpíadas de xadrez, jogando sempre no no primeiro tabuleiro. Na Olimpíada de Malta em 1980 ganhou a Medalha de Ouro por melhor resultado percentual  de qualquer membro da equipe nacional. Ele derrotou um grande mestre e vários campeões nacionais ao longo do caminho. Para comemorar essa conquista, as Ilhas Virgens Britânicas emitiram um selo em sua homenagem.

Durante as rodadas preliminares da Olimpíada de Siegen, as Ilhas Virgens estavam emparelhadas com a equipe dos EUA   e Bill Hook enfrentou o lendário Bobby Fischer. Ao tocar as peças pretas,   Bill Hook aventurou uma linha de estimação da Defesa Francesa, após o que se desenvolveu um encontro emocionante, que culminou com um robusto sacrifício por Fischer".
Na Olimpíada de Dresden 2008

Bill Hook escreveu um livro, bem como vários artigos para revistas e jornais sobre xadrez. No mundo das artes, ele é conhecido na pintura e fotografia. Ele morava em Washington DC com sua esposa até sua morte em 2010.

Gostaria de trazer ao conhecimento dos leitores algumas passagens da vida de Bill Hook com Bobby Fischer, mesmo porque tudo que se refere a Fischer, de 1956 a 1972, me interessa demais.
Mas isso é um tema para  um próximo artigo. Já sabemos que eles se enfrentaram em 1970. Porém iremos saber que antes dessa data eles jogaram... Vamos aguardar!

Torneio começa hoje!


A primeira rodada do III Memorial Caldas Vianna começa às 20 horas de hoje na sede da Academia Caldas Vianna e reúne oito jogadores, com direção de Fernando Sá e arbitragem de Ivanilson Pereira. O tempo de reflexão é de 90 minutos e o torneio vale Rating FIDE. Solicita-se que cada jogador traga relógio e que venha agasalhado.

Vejamos o emparceiramento para essa primeira rodada:
1 - Antonio Dutra - José Mario Espínola
2 - Petrov Baltar - Genildo Gomes
3 - Eny Moura - Ubirajara Barros
4 - Fernando Melo - Alexandre César.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Uma camisa especial!




Essa camisa azul que estou usando não é uma camisa qualquer, ela é especial, muito especial, bastante especial! Acabei de ganhar de presente do meu amigo Alexandre César. E o que ela tem assim de tão especial? É simplesmente a camisa do Stavanger Chess Club, da Noruega. O Clube foi fundado no distante ano de 1887. Depois sofreu uma paralisação e voltou em 1902. Magnus Carseln defende as cores deste Clube em torneios noruegueses desde 2010! 


Informo ainda que exemplares do nosso livro O Escudeiro de Caissa foram deixados, por Alexandre, em Praga, Budapeste e com o norueguês Kjell Terje (jogaram blitz em Praga), o mesmo que presenteou a camisa para Alexandre, e este, generosamente, passou para mim. (FM)

Simultânea é sábado!

Tomaz, com as negras, no torneio de Recife
A simultânea do talentoso Luiz Antonio Tomaz será neste sábado no Clube de Xadrez Miramar. com o tempo de uma hora nocaute. A inscrição é de 40 reais e restam poucas vagas,. Se você ainda não se inscreveu, procure o MF Francisco Cavalcanti e assim estará ajudando Tomaz a fazer seu curso em Recife, com o agora GM Yago Santiago. A simultânea começa às 15 horas. Participe, jogando ou prestigiando com sua presença como assistente.

"Nós sempre teremos Paris!"

Por FERNANDO MELO

Repercute com certa intensidade o que pretendemos realizar, uma vez eleito presidente da Federação Paraibana de Xadrez. É notório o apoio e a solidariedade a essa nossa iniciativa. Manifestações que acato com a responsabilidade de quem sabe ouvir sugestões. Considerando que a eleição ocorrerá em novembro, teremos tempo suficiente para avaliar tudo o que pode acontecer até lá, tendo em vista os quatro planos que apresentei no artigo de ontem.

Estamos acima de qualquer ideologia, crença ou preconceito. Aceitamos críticas, sugestões, com o mesmo entusiasmo que aceitamos elogios e irrestrito apoio. Aliás, ontem nos chegaram sugestões, não críticas, mas sugestões que confrontavam com o que pensamos fazer no que se refere ao novo formato do campeonato paraibano.

Recebi com respeito e passei a avaliar com a devida atenção. A primeira coisa que me veio à mente é que a sugestão passou a ser valiosa, por abrir horizontes que não tínhamos avaliado ainda a sua importância. Ou seja, como fazer um campeonato com matchs uma vez que o torna dispendioso e, portanto, de difícil execução.    

A saída para o sucesso desse plano, em boa parte, está nas cidades do interior! Isso mesmo! Vamos imaginar que na primeira fase do Paraibano 2018. uma das oito duplas, seja formada por um jogador de João Pessoa e Esperança. Certamente Joaquim Virgolino vai se empenhar para que o match de duas partidas seja na sua cidade. Imaginemos que numa outra dupla seja um jogador de Campina Grande e Picuí. Surge então o interesse da cidade de Barauna, através do professor Fagner Lima, em sediar esse match. E o plano segue com essa linha de pensamento. Daria isso certo? Caso não possa ser bem assim, lembremos que "Nós sempre teremos Paris!".

Para tanto temos que levar a sério e com responsabilidade esse plano, que certamente vai, e deve, receber novas sugestões. O importante é que se faça alguma coisa. E no momento em que a Diretoria for formada teremos uma reunião que analisará todos esses pontos. A essa altura, o Conselho também estará formado com 15 nomes de enxadristas experientes, que poderão avaliar com competência a decisão da Diretoria.

Adianto que estamos estudando os Estatutos da Federação para que as ações da futura Diretoria estejam de acordo com essa lei maior do xadrez paraibano.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Banner do CXMiramar

O Clube de Xadrez Miramar, que tem a direção do casal Lili e MF Francisco Cavalcanti, apresenta para todos os seus sócios e  enxadristas de todo o Brasil,  o Banner oficial do clube, sendo assim a sua marca registrada. Longa vida a esse Clube que é aberto às sextas e sábados de todas as semanas e palco de bons torneios e atividades enxadrísticas.

Minha candidatura à FPbX

Por FERNANDO MELO

Depois de mais de 40 anos auxiliando o desenvolvimento do xadrez da Paraíba, sempre ocupando cargos de secretário e vice-presidente, resolvo aceitar convite e me candidatar a Presidente da Federação Paraibana de Xadrez.
Venho pensando e conversando a respeito do que pode ser feito para dar uma sacudida no xadrez de nossa terra. Confesso que estou entusiasmado com os planos que tenho em mente, mas para tanto preciso contar com o apoio de todos e em todo o Estado.

Vejamos alguns desses planos, considerando minha eleição.

1 - Pretendo formar a Diretoria Executiva com os seguintes membros e seus respectivos cargos:

Presidente - Fernando Melo
1º Vice-Presidente - José Mario Espínola
2º  Vice-Presidente - Antonio Morais
1º Secretario - Ubirajara Barros
2º Secretário - Luiz Fabio Jales
Diretor Técnico - Ivanilson Pereira
Diretor Financeiro - Silvio Sá  
Diretores do Interior - Fabson Palhano, Joaquim Virgolino  e Biu de Patos. 

OBS: Será criado um Conselho o qual contará com 15 membros.

2 - Cadastro e Anuidade
Todos os jogadores de xadrez da Paraíba que queiram competir em torneios, deverão ser cadastrados na Federação e contribuir com uma anuidade de R$ 12,00 (doze reais)

3 - Balancete Semestral 
O diretor Secretário e o diretor Financeiro apresentarão nos meses de junho e dezembro uma prestação de contas de todas as atividades da Federação.   

4 - Campeonato Paraibano

A - A partir do próximo ano (2018) o Campeonato Paraibano terá o formato de matches. Serão 16 jogadores, sendo que o Memorial Bobby Fischer (março) indicará 14 jogadores paraibanos melhor classificados (incluindo os pessoenses e campinenses) , 2 jogadores do Regional do Brejo e 2 jogadores do Regional do Sertão com torneios classificatórios com a supervisão da Diretoria Técnica.

B - Uma vez conhecido os 16 participantes, será formado 8 duplas, seguindo a força do Rating. Cada dupla jogará duas partidas invertendo as cores. Restando 8 jogadores, teremos a etapa seguinte, com 4 duplas jogando quatro partidas. Na terceira etapa, restando quatro jogadores. teremos duas duplas, jogando seis partidas. E a grande final com os dois jogadores restantes, que se enfrentarão em oito partidas e o vencedor será o Campeão Paraibano. Vale salientar que todo esse desenrolar do Campeonato Paraibano valerá rating FIDE e as despesas correrão por conta da Federação.

Essa plataforma de governo da futura administração, deverá ser analisada por toda a Diretoria Executiva, uma vez eleita, e acataremos, no momento devido, sugestão dos enxadristas paraibanos

Em linhas gerais, são esses quatro pontos que acreditamos dar um novo clima, provocar mais emoção e interesse para que tenhamos uma Federação Paraibana de Xadrez cada vez mais forte, competitiva e respeitada. É no momento o que temos a adiantar para os paraibanos como plataforma de governo.   

domingo, 16 de julho de 2017

Caldas Viana - A imortal brasileira!

Revendo nossos arquivos pessoais de xadrez, encontramos o recorte ao lado, referente a uma matéria jornalística, de autoria de Fernando Melo, na qual não temos registro do ano da publicação, nem do periódico que o publicou. Ainda assim, pela relevância do seu conteúdo, tratamos de reproduzir aqui, para os leitores deste blog apreciarem a parte do texto que se refere à partida de xadrez tida como a imortal brasileira. Eis a matéria:

O maior jogador do país no século passado e primeiras décadas do nosso [naturalmente o autor refere-se ao século XX], foi Caldas Viana. Em 1900 era conhecido na Europa por produzir a bela sequência de sacrifícios e combinações, bem ao estilo romântico da época, como diz Valdemar Costa, jornalista e autor de vários livros sobre xadrez.

Essa partida que o tornou ainda mais conhecido é a mais famosa e chamada de imortal brasileira. Antologias e estudos enxadrísticos no mundo inteiro já se preocuparam com ela. Está incluída no abalizado The Golden Treasury of Chess, de Vellmuth (Philadelphia, USA), e foi também comentada pelo mestre argentino Roberto Grau, em termos altamente elogiosos, no erudito Tratado General de Ajedrez (Vol. II, pg. 56).

[O restante do artigo sobre a Imortal Brasileira reproduz a partida, com comentários, os quais o leitor pode ver clicando na imagem abaixo].

Caldas Viana - A. Silvestre Barros
Rio de Janeiro, 1900
Gambito Evans