domingo, 6 de dezembro de 2015

Chiquinho Cavalcanti, preso ao xadrez

Por Damião Ramos Cavalcanti *
MF Francisco Cavalcanti

   Nasceu em Itabaiana nas mãos da parteira Ivone, acostumada a trazer à luz dos ventres maternos filhos dos outros, poderia até, sem o rigorismo acadêmico, trabalhar, no interior, num despretensioso "sem médicos" ou num matuto "médicos sem fronteiras"... Ivone Almeida, Leninha Batista e Dona Quinú nunca submeteram parturiente ao bisturi das cirurgias cesarianas, davam jeito a qualquer parto dificil... Nessa maternidade caseira, desde a amamentação orientada pela parteira, as crianças nasciam sadias, como seus setes irmãos e irmãs... Foi nesse tabuleiro  em que nasceu Chiquinho, entre peões, já ouvindo o relincho dos cavalos no Alto dos Currais, "as rezas dos bispos e das damas", a voz da rainha Lia, o sorriso do rei Inácio. A circunstância desse lar trazia o futuro naquele passado...
      Em 1970, a casa mudou-se para João Pessoa, onde este seu irmão mais velho jogava xadrez com Paulo Andríola, Juarez Benício e Marcos Trindade. O menino Chico, em pé, em silêncio, espiava os movimentos das peças de todas as partidas. Ninguém percebia alí a preparação de um campeão, discernindo inúmeras jogadas, como a de roque com a torre e o rei, no momento certo... Já sempre dando xeque-mate, o Colégio Pio XII credenciou esse prodigioso talento de 9 anos aos jogos estudantis pelo país afora. Até que Frank Lins o levou para o certame internacional em Nice, na França, de onde voltou vitorioso.
Damião Cavalcanti
         Hoje, várias vezes campeão paraibano, Mestre em xadrez diplomado pela internacional FIDE; professor de xadrez nas escolas públicas; autor do livro "Xadrez Para Todos", Francisco de Assis Cavalcanti, nacionalmente conhecido, abre, neste Sábado de 05 de dezembro de 2015, sob a égide da Federação Paraibana de Xadrez, a Escola de Xadrez de Miramar e um Clube, na Praça Hilda Lucena, 15, aonde afluirão crianças, jovens, adultos para, sem sua autodidaxia, aprenderem e praticarem os raciocínios do xadrez.

* Damião Ramos Cavalcanti é presidente da Academia Paraibana de Letras e presidente da Fundação Casa de José Américo de Almeida.

4 comentários:

  1. Como você é chic Chiquinho! Queria ter um irmão assim! É só prá descontrair. Mas, Parabéns pelo que
    você já fez e faz pelo xadrez! Gosto de pessoas que lutam pelos seus ideais. Abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto!. Francisco Cavalcanti merece todas as homenagens por sua luta em prol do xadrez. Desejo sucesso à sua iniciativa de formar um clube e escola de xadrez.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Mestre Chico,Saúde e Sorte.

    ResponderExcluir
  4. grande matéria... Sou seu fã Fernando!

    ResponderExcluir