domingo, 3 de março de 2019

Por quê Machado de Assis ? (2)

(Continuação) 
Carolina e Machado de Assis

  Já estamos todos cientes e conscientes de que Machado de Assis foi um apaixonado do jogo de xadrez. Seu interesse levou a ocupar posição destacada nos círculos enxadrísticos do tempo do Império.
  Temos a valiosa informação sobre a sua iniciação na arte de Caíssa. Ela foi fruto da influência de Arthur Napoleão (gravem bem este nome), o grande pianista português que enfrentara em Nova York, aos dezesseis anos de idade, em partida de exibição, o famoso Paul Morphy!
   Sabemos que, mais tarde,   o virtuoso luso estava radicado no Rio de Janeiro, e de volta de uma de suas viagens a Europa acompanhara ao Brasil, Carolina Xavier de Novais, futura esposa de Machado de Assis, e de cujo casamento Arthur Napoleão viria a ser uma das testemunhas. 
    Analiso essa informação como valiosa. Pois pergunto: caso Machado de Assis não conhecesse Arthur Napoleão, ele teria se aproximado de Carolina? A resposta é SIM! Explico!
    É preciso entender o motivo da vinda de Carolina para o Brasil. Nos diz Raimundo Magalhães Junior que resultara de "imperiosa e dramática necessidade - talvez uma ameaça à sua vida por parte de um apaixonado desequilibrado e repelido"... Também, tinha outro motivo. O poeta Faustino Novais estava muito doente e a irmã veio para ficar perto dele.
      Faustino Novais era amigo de Machado de Assis, sendo que este colaborava para a revista Espelho, de propriedade de Faustino e que teve vida efêmera, fechando com menos de um ano de existência.  Em uma das visitas que fez ao amigo enfermo, Machado de Assis conheceu Carolina...veio o namoro e depois o casamento. Tendo chegado ao Brasil no dia 18 de junho de 1868, Carolina casou-se com Machado de Assis no dia 12 de novembro de 1869. 
          E assim, apesar da relação do poeta Faustino Novais, junto ao futuro casal, acredito que a influência de Arthur Napoleão, responsável pela vinda de Carolina para o Brasil, tenha o xadrez (foi o xadrez que solidificou a amizade do pianista com o escritor) sua parcela de contribuição para a união de Machado de Assis com Carolina Novais.
        Iniciar os esforços para homenagear  Machado de Assis, com o Aberto do Brasil - I Memorial Machado de Assis nos dias 15, 16 e 17 de novembro deste ano, no Littoral Hotel passa a ser, a partir de abril, a meta da Federação Paraibana de Xadrez, sob a nossa direção! Estamos confiantes de que contaremos com a solidariedade e o apoio de muitos. Juntos somos mais fortes!

6 comentários:

  1. Excelente post caro Fernando Melo. E muito justa a sua homenagem a Machado de Assis. Como sabem seus leitores, o bruxo do Cosme Velho usou o jogo de xadrez para fazer incursões temáticas, estéticas e dramáticas em artigos, contos e romances.

    ResponderExcluir
  2. Mandando bem nas pesquisas...
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Salomão Rovedo e Ricácia Dantas duas valiosas peças no tabuleiro machadiano e que muito contribuem para divulgarmos mais e mais o enxadrista Machado de Assis!

    ResponderExcluir
  4. Bem lembrado Fernando Melo e parabéns à FPBX pela iniciativa!
    Acrescento que o MF Wagner Martins Madeira defendeu tese na USP e lançou um livro chamado "Machado de Assis:homem lúdico" onde escreve um pouco sobre as nuances do xadrez na obra do Machadinho.

    ResponderExcluir
  5. Meu mestre MI Antonio Rezende. Vc me deixa feliz demais com sua mensagem. Fico emocionado em saber que o MF Wagner Martins Madeira tem um livro sobre o nosso Machadinho! Ele já esta na minha bibliografia dos meus estudos machadianos e espero ler este livro antes de novembro. Obrigado e forte abraço

    ResponderExcluir