quarta-feira, 29 de março de 2017

Terrível pesadelo!

Por Fernando Melo

Amanheci o dia estudando a primeira partida do match Fischer-Petrosian,  Final do Torneio de Candidatos, Buenos Aires, 1971. Fischer enfrentou a Siciliana, Variante Paulsen, B44. Foi uma vitória marcante pelo que aconteceu no seu final, forçando Petrosian abandonar no lance 40. 

Então verifiquei que Fischer  jogara essa mesma abertura contra Taimanov, pelas quarta-de-final desse mesmo torneio, meses antes. Foi uma partida dramática, sendo preciso 89 lances para Fischer conquistar a vitória. 

Mas vamos dar a palavra a Gary Kasparov, que tem muita coisa interessante para nos dizer sobre esse histórico embate, que foi a segunda partida. Lembrando que Fischer ganhara a primeira! Antes vamos ver a posição das peças no tabuleiro e que vale a pena o leitor armar.
Brancas: Rf6, Bg4, h3.
Negras: Rd5. Ce5.

Vejam que as negras, segundo GK, tinham uma escolha simples de quatro lances, três dos quais conduziriam a um empate rápido, e um para uma derrota igualmente rápida. E esse foi justamente o que Taimanov fez: 81. ... Re4??

"Sem dúvida o mais terrível pesadelo na biografia enxadrística de Mark Taimanov...", disse GK em seu livro Meus Grandes Predecessores, Vol 4, pág. 390.

Vamos saber agora como GK concluiu a análise dessa segunda partida:

"E assim, após somente quatro dias de jogo, a mente do adversário de Fischer parou de funcionar, O leitor poderá dizer: ´Um Grande Mestre em quaisquer condições não tem o direito de perder um final assim.!` Mas pelo visto Taimanov já não estava simplesmente deprimido, mas emocionalmente quebrado.

Por fim, vejam que interessante nos conta Kasparov!

"Eu ganhei uma aposta contra Suetin sobre o match Fischer-Taimanov, de que após duas partidas o escore estaria 2-0", recorda Petrosian. "Mais que isso, a história dessa disputa é mesmo divertida Após o primeiro adiamento da 2ª partida em uma posição perdida para Taimanov, Suetin admitiu a ´derrota`. Após o segundo adiamento em posição de empate, fui eu  que tive que `abandonar`. Mas no final das contas, eu acabei ´vencendo`.

4 comentários:

  1. A trajetória de Fischer é emocionante, por parecer um obra de ficção, essa história marcou uma época e sempre ficará marcada na mente dos que amam esse nobre jogo!

    ResponderExcluir
  2. Meu sonho seria ter visto Fischer e Kasparov se enfrentando nos anos 80, quer dizer, não só meu sonho, acredito que a maioria dos admiradores do esporte, seria algo tão forte quanto um eclipse.

    ResponderExcluir
  3. Bem observado, Mestre Jovelino! O sonho de Ozymandias tem o apoio de todos!

    ResponderExcluir
  4. Procurei imagens do segundo match entre Fischer vs Spassky de 1992, e quase nada encontrei, vcs do Blog ou visitantes, saberia me dizer, se foi também exigência de Fischer, para que nada fosse filmado ou fotografado?

    ResponderExcluir